Como perder gordura da barriga? Especialista explica processo

Nutrólogo detalha que para diminuir a quantidade de gordura do corpo é necessário que haja um défict calórico

Mulher mostrando gordura na região abdominal
Legenda: O processo de perda de gordura no corpo, segundo o médico, começa nos braços e, por último, deve chegar ao abdômen
Foto: Shutterstock

Perder gordura é o desejo de inúmeras pessoas que iniciam processos de reeducação alimentar voltados para o emagrecimento. Muitos, inclusive, almejam a perda em locais específicos do corpo, como as do abdômen, e há também quem pense que reduzir o consumo de alimentos ricos em gorduras já seria suficiente. 

O médico nutrólogo Paulo Lara explica que a gordura acumulada no organismo é oriunda do excesso de calorias que o indivíduo consome. O especialista diz ainda que essa caloria é proveniente tanto de alimentos ricos em carboidratos, como em proteínas e também dos de gorduras.  

“Não é só a gordura que a gente come que vai virar gordura no nosso corpo. A gordura do nosso corpo é originada do excesso de caloria. Então, independente, se você tiver comendo muito carboidrato, muita proteína ou muita gordura, isso tudo no final do processo vai virar gordura”, afirma. 

Então, para perder gordura deve haver um déficit calórico. Paulo detalha que o consumo de calorias deve ser em média de 500 a 700 a menos por dia do que o necessário. Segundo ele, o corpo funciona como se fosse um cofre e tudo que vem de excesso de energia, vira gordura.  

“A gordura é um estoque de energia do nosso corpo que é uma reserva protetora. Ela está aqui para proteger a gente dos períodos de falta de alimento. Então assim, a pessoa pode se alimentar extremamente bem, de fruta, verdura, só que se ela ultrapassar a quantidade de caloria que o corpo queima, vai virar gordura”, detalha. 

O problema na alimentação, conforme o nutrólogo, é que dos três macronutrientes (proteína, carboidrato e gordura), ela é quem possui a maior quantidade de calorias. “Um grama de carboidrato tem quatro calorias, um grama de proteína tem quatro calorias e um grama de gordura tem nove”. 

Os alimentos que possuem mais teor de gordura são, segundo Paulo Lara: carne vermelha, gema de ovo, leite, peixe de água fria (como o salmão), abacate, castanha, amendoim, amêndoas, manteiga, banha e porco, e óleos em geral. 

O médico reforça ainda que não é possível diminuir a gordura de uma parte específica do corpo. De acordo com ele, a sequência comum de perda de gordura do corpo começa nos braços, depois segue para as pernas e, por último, ele irá eliminar a gordura das costas até chegar as do abdômen. 

Sobre substâncias que podem ajudar na queima de gordura, Paulo Lara diz que não há chás na literatura médica com essa propriedade, ele indica uso de compostos naturais como gengibre, canela, pó de guaraná e cafeína, por exemplo.  

Já em relação aos termogênicos, o médico afirma que eles irão ajudar muito mais dando disposição para um treino com mais qualidade do que se a pessoa ingerir o suplemento e não realizar atividade física. “A quantidade de calorias que ela vai queimar mais usando o termogênico ficando parado é praticamente nula. [...]. Mas se ela tomar o termogênico e for fazer o exercício, ele vai render mais e vai queimar mais calorias”. 

Além do excesso de calorias, os hormônios também influenciam no acúmulo de gordura e onde o corpo irá armazenar esse excesso.  

“O homem, como ele tem a testosterona mais alta e o estradiol mais baixo, a tendência é acumular gordura na barriga, na região abdominal. A mulher, por outro lado, até ela chegar à menopausa, ela tende a acumular mais gordura no subcutâneo. Então, ela tem mais gordura nos braços, costas, quadril. Quando ela entra na menopausa, os hormônios mudam e daí ela começa também acumular gordura na região abdominal”. 
Paulo Lara
Médico

Tipos de gordura na alimentação

Uma confusão bastante comum é entre as gorduras provenientes dos alimentos com a armazenada no corpo. Falamos no tópico anterior sobre a gordura corporal e como perdê-la, já sobre as ingeridas através da alimentação, o médico destaca dois tipos principais em que é preciso ter cuidado: a saturada e a trans

A gordura trans, conforme o nutrólogo, não tem nenhum nível seguro no nosso corpo, ela é encontrada geralmente em alimentos industrializados. Então, toda essa gordura que for ingerida é prejudicial para o organismo. Já o consumo da saturada é importante porque o colesterol presente nela é a matéria prima para a produção de alguns hormônios

Paulo Lara indica a ingestão de gordura saturada de, no máximo, dez por cento do consumo de gorduras diárias. Já as gorduras insaturadas ou poli-insaturadas possuem um fator protetor no organismo, “são gorduras boas e geralmente elas estão presentes na origem vegetal”. 

Quais gorduras devemos consumir?  

O nutrólogo também esclarece quais os tipos de gordura podemos incluir na alimentação. Segundo ele, as saturadas devem ser consumidas com moderação, a trans é o único tipo que faz mal e as poli-insaturadas podem ser consumidas com mais liberdade.  

“As saturadas devem ser consumidas, mas com moderação, porque é a gordura que está relacionada, por exemplo, ao infarto e ao AVC. É a gordura que entope as artérias. As gorduras poli-insaturadas, elas podem ser comidas com mais liberdade, digamos assim. Então, a gordura das nozes, das castanhas, do abacate... A única gordura que faz mal é a trans”.