Antes de faltar a evento do PDT, Cid Gomes já evitava falar sobre a disputa entre aliados

Senador e estrategista do grupo governista está com sintomas gripais e suspeita de covid-19, informa a assessoria

Legenda: Desde maio, o senador do PDT está se esquivando de comentar os desentendimentos na aliança governista: "ouvir mais e falar menos"
Foto: Thiago Gadelha

No encontro regional do PDT, algo chamou atenção: a ausência do senador e ex-governador Cid Gomes, um dos responsáveis pela estratégia de formação das alianças eleitorais no grupo governista. Segundo sua assessoria, o pedetista não compareceu ao encontro por estar com sintomas gripais e suspeita de covid-19.

No último fim de semana, ao lado de aliados, Cid Gomes participou do casamento de um filho da governadora Izolda Cela e do batizado de sua filha na região Norte do Estado.

A ausência do parlamentar não é fato isolado neste período pré-eleitoral. Desde o início de maio, quando a temperatura entre os aliados voltou a subir após declaração do irmão Ciro, com críticas ao PT no Estado, Cid tem evitado aparições públicas. Quando o fez, se negou a comentar a guerra de bastidores entre os aliados.

A ausência de Cid Gomes no evento desta quarta-feira (15) aponta na direção da postura que tem assumido de se esquivar das questões que envolvem a indicação do candidato do partido. Nos bastidores, pessoas mais próximas dizem que ele é contra o acirramento entre os aliados.

Após as declarações do Ciro em maio, o senador chegou a dizer a deputados aliados que a postagem da governadora Izolda Cela nas redes sociais, na ocasição, de valorizar os aliados foi correta e que ele se sentiu contemplado com a publicação.

Depois, no dia 26 de maio, questionado por este colunista sobre o clima interno na aliança governista, Cid Gomes repetiu seguidas vezes: “o momento é de ouvir mais e falar menos”