Fortaleza é o 4º time que mais finaliza na Série A, mas tem o 3º pior ataque. Culpa de Vojvoda?

Falta de efetividade é um dos grandes problemas do Tricolor no Brasileirão

Juan Pablo Vojvoda com braços abertos na beira do campo
Legenda: Juan Pablo Vojvoda tem missão de comandar reação do Fortaleza no Brasileirão
Foto: Thiago Gadelha/SVM

A péssima campanha do Fortaleza no Campeonato Brasileiro é reflexo de vários aspectos. Um deles, porém, chamou atenção por se repetir em vários jogos: o quanto o time foi incapaz de ser eficiente. Os números comprovam isso e levantam um questionamento: a culpa é do treinador Juan Pablo Vojvoda?

Vamos aos fatos. O Fortaleza é o 4º time que mais finalizou no 1º turno da Série A, segundo levantamento do Espião Estatístico, do ge.globo. Foram quase 270 finalizações nos 19 jogos, com uma média de 14,2 por cada partida.

Porém, o Tricolor detém o 3º pior ataque de toda a competição, com apenas 15 gols marcados e média inferior a uma bola na rede por cada jogo. Passou 7 das 19 rodadas (37%) em branco.

O Corinthians vive o oposto disso. É o time que menos finaliza (9,2 por jogo), mas é efetivo. Tem 24 gols e é o vice-líder.

Aí a pergunta: o problema é só o treinador? Se ele sair, resolve?

Desempenho do ataque do Fortaleza
Legenda: Desempenho do ataque do Fortaleza na Série A
Foto: SVM

Claro que o argentino possui responsabilidade. É óbvio. Como comandante, é o líder e principal responsável por tomar decisões relacionadas ao futebol. Escalações, substituições, contratações, utilização ou não de determinado jogador. Tudo passa por ele, bem como alguns resultados ruins e a incapacidade de segurar resultados mesmo em cenários favoráveis.

E atuações também. O Fortaleza fez péssimos jogos recentemente, demonstrando claro sinal de desgaste físico e até mesmo emocional. Mas não foi assim em todas as partidas. Teve, também, momentos de bom desempenho mesmo nesta campanha catastrófica.

O principal ponto aqui é: se um time não consegue demonstrar capacidade para agredir o adversário, se não apresenta organização para criar situações de gol, nem uma identidade, claramente o treinador não está conseguindo fazer um bom trabalho.

Mas se a equipe consegue criar, agredir o adversário e finalizar, mas os jogadores erram o alvo e não acertam o gol, a culpa não pode ser só do treinador. Romero passou um turno inteiro sem nenhum gol.

Sabemos como funciona o futebol. A tendência é, sempre, de acorda arrebentar para o lado do treinador. E Vojvoda vive  o momento mais crítico desde que chegou ao Pici.

Mas ele não carrega a culpa do mau momento sozinho.