A greve do Banco Central e o impacto nas decisões econômicas

Legenda: A greve dos funcionários do Banco Central tem como impacto a indisponibilização de dados atualizados da economia e do mercado financeiro.
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Nos mares, ter apoio dos instrumentos para navegação são absolutamente necessários, a exemplo da bússola, que além das estrelas, por muito tempo guiou as viagens marítimas.

Na economia, assim como nos mares, o uso de instrumentos de navegação é importante, sobretudo quando estamos em plena tempestade, com pandemia e guerra no radar, que promovem efeitos econômicos de amplo impacto, como a inflação.

As famílias, empresas e governos, em grande medida, precisam de “um norte” econômico. As corporações, por exemplo, nos seus planejamentos estratégicos e orçamentos empresariais, utilizam as estimativas econômicas para melhor traçar seus objetivos empresariais e otimizar o “budget” dos negócios.

A BÚSSOLA DA ECONOMIA PIFOU!

Neste sentido, um instrumento econômico de elevada relevância, o relatório Focus do Banco Central, a nossa bússola econômica, se mostra importantíssimo para navegarmos nos “oceanos econômicos”, cada vez mais complexos e revoltos. Porém, temos um problema. A bússola da economia pifou!

A greve dos funcionários do Banco Central tem como impacto a indisponibilização de dados atualizados da economia e do mercado financeiro.

RELATÓRIO FOCUS DO BANCO CENTRAL

O Relatório Focus apresenta as estatísticas das expectativas econômicas de mercado. O Focus, como é mais conhecido, tem informações coletadas a partir de 140 instituições (Bancos, gestoras de recursos, corretoras, distribuidoras, consultorias econômicas, entre outros participantes).

Vale ressaltar que todas essas informações são dos participantes de mercado, e não do Banco Central, que tem o papel de consolidar e divulgar as informações estimadas pelos participantes do relatório Focus.

Gráficos, projeções e comportamento semanal das projeções do mercado para índices de preços, atividade econômica, câmbio, taxa Selic, entre outros indicadores, estão contidos no Focus.

Particularmente, acredito que o Banco Central, por meio do Relatório Focus, fornece a maior consultoria econômica do País, toda semana, as segundas-feiras pela manhã, na medida em que subsidia, por exemplo, as pessoas na estratégia de investir, se renda pré-fixada ou pós-fixada; em viajar, pois ajuda em compreender a dinâmica cambial; entre outras possibilidades, especialmente destinadas para as empresas.

ESTAMOS À DERIVA!

Infelizmente, o último relatório Focus é de 29/04/2022. Ou seja, estamos há um mês sem a nossa bússola econômica, e em certa medida, nos deixando à deriva.

As nuvens carregadas da economia, com riscos inflacionários, geopolíticos, e ainda da pandemia, colocam o relatório Focus ainda mais necessário para as pessoas físicas, jurídicas e para o próprio governo.

Outras informações econômicas estratégicas também estão sem divulgação, como informações de crédito (juros, inadimplência, etc.); e da atividade econômica, o IBC, de periodicidade mensal, que busca mensurar como a economia está se comportando, em nível nacional, regional e estadual.

As informações econômicas, fornecidas pelo Banco Central, são de grande relevância para os tomadores de decisão.

Enfim, torcemos que o imbróglio trabalhista dos funcionários do Banco Central e o Governo Federal chegue ao seu término de forma tempestiva e o nosso “norte” surja no horizonte.

Grande abraço e até a próxima semana.

Este texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.