Pagamentos por aproximação alcançam novo recorde; veja números

Legenda: De cada 10 pagamentos em cartão, na forma presencial, 3 já são por aproximação.
Foto: Shutterstock

Na busca por compreender a economia, confesso que a evolução da moeda, e tudo que está a sua volta, é algo que fascina, especialmente pela capacidade de adaptação ao contexto histórico e tecnológico.

Não tenho dúvidas que estamos em plena (r)evolução monetária e tecnológica. A forma como realizamos transações econômicas, utilizando a moeda como meio de troca, é um dos exemplos de transformação.

Caro leitor, você é testemunha ocular do grande salto de como transacionamos a moeda, sobretudo na forma de realizar pagamentos, que passam desde as tradicionais operações bancárias (DOC e TED), pelo PIX, ensaiam com as criptomoedas nas transações globais, e em breve, com o Real Digital.

Entre as formas de pagamentos, evidentemente, os cartões de crédito, débito e pré-pago, também são relevantes, em razão do seu volume, impacto na economia, e avanços na tecnologia.

CARTÃO DE CRÉDITO NO BRASIL

Os cartões, em particular, movimentaram mais de R$ 750 bilhões no 1º trimestre de 2022, conforme dados recentes publicados pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços – Abecs.

O crescimento do PIX é notável. Entretanto, também como reflexo da digitalização e da bancarização, em volume de recursos, os cartões de crédito, débito e pré-pago cresceram 42,4%, 15,2% e 148,4%, respectivamente.

Em quantidade de transações, ainda de acordo com a Abecs, foram 9 bilhões de transações com cartões no 1º. trimestre de 2022, o que representa a marca recorde de 100 milhões de pagamentos com cartões por dia (em média).

PAGAMENTOS POR APROXIMAÇÃO BATEM RECORDE

No bojo da transformação digital, os cartões estão surfando a onda desta revolução. O progresso tecnológico dos cartões, promovida pela aproximação que usa a tecnologia NFC (Near Field Communication), possibilitou uma série de benefícios, como a expansão do potencial de uso de dispositivos eletrônicos (smartphones, relógios inteligentes e pulseiras) para pagamentos; agilização no momento da compra; entre outras.

Os pagamentos por aproximação, com mais de 2 bilhões de transações, cresceram 474% no 1º trimestre de 2022. As cifras são relevantes, pois foram mais de R$ 100,00 bilhões movimentados no Brasil apenas nos 3 primeiros meses do ano.

De cada 10 pagamentos em cartão, na forma presencial, 3 já são por aproximação. A tendência de crescimento dos pagamentos por aproximação é notável.

PARTICIPAÇÃO DAS TRANSAÇÕES NFC (APROXIMAÇÃO) NAS COMPRAS PRESENCIAIS – 1 TRIMESTRE DE 2022 %

  • 1º Tri/2020 1,5%
  • 2º Tri/2020 3,2%
  • 3º Tri/2020 4,2%
  • 4º Tri/2020 5,4%
  • 1º Tri/2021 7,9%
  • 2º Tri/2021 13,5%
  • 3º Tri/2021 19,4%
  • 4º Tri/2021 23,8%
  • 1º Tri/2022 30,1%

Fonte: Abecs (2022)

O cartão de crédito, com 56,3% do valor movimentado por aproximação, foi o mais usado nos pagamentos no 1 trimestre de 2022, e aquele de maior ticket médio, R$ 67,60. Na sequência, estão em preferência de uso os cartões de débito (27,5%) e o cartão pré-pago (16,2%).

Na perspectiva futura, vislumbro que os pagamentos por aproximação devem ganhar ainda mais terreno, em razão da expansão das fintechs; e a popularização de smartphones e relógios inteligentes com a tecnologia NFC.

Grande abraço e até a próxima semana!

Este texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.