Ceará não depende mais apenas de si para ir à Taça Libertadores; veja cenário

O time empatou sem gols com o América-MG neste domingo (5)

Cléber dribla goleiro do América-MG
Legenda: Cléber perdeu chances em jogos importantes, como contra o América-MG em 2021
Foto: Kid Júnior / SVM

O Ceará segue vivo na briga pela Libertadores, mas não depende mais apenas de si. Esse foi o resultado do empate em 0 a 0 com o América-MG, domingo (5), pela 37ª rodada da Série A. Diante de uma Arena Castelão lotada, com recorde de público em 2021, o Vovô teve entrega, desperdiçou chances e sofreu susto no fim. A oportunidade de ultrapassar o rival direto não se firmou.

Na tabela, as equipes somam 50 pontos, a vantagem do Coelho é o total de vitórias: 12 x 11. Na 9ª posição, o Vovô pode ser alcançado por Atlético-GO (47) ou Internacional (48), que se enfrentam na segunda (6). Fora do G-8, chega na rodada final precisando de vitória e torcendo por combinação de resultados.

Jogos dos clubes que brigam pela Libertadores:

  • Ceará: Palmeiras (F)
  • Fluminense: Chapecoense (C)
  • América-MG: São Paulo (C)
  • Internacional: Atlético-GO (C) e Bragantino (F)
  • Atlético-GO: Internacional (F) e Flamengo (C) 

 

Assim, o foco deve ser vencer o Palmeiras na quinta (9) e esperar tropeços dos times envolvidos na disputa, principalmente por Fluminense (7º) e América-MG (8º), dupla que hoje tem vaga na pré-Libertadores, mas pode ser ultrapassada pelo Vovô. Vale lembrar: a Sul-Americana está certa.

Classificação da Série A
Legenda: Classificação da Série A após resultados do domingo (5)
Foto: reprodução / CBF

Desperdício e desgaste

O duelo foi tomado pelo equilíbrio, as defesas se sobressaíram e impediram as chances no 1º tempo. O detalhe está na volta do intervalo, quando o Vovô teve domínio pleno até os 30 minutos e não converteu. Foram oportunidades de longe e dentro da área, de cobertura e até sem goleiro.

Yony em ação pelo Ceará
Legenda: O atacante Yony entrou no 1º tempo pelo Ceará e foi substituído no intervalo
Foto: Kid Júnior / SVM

O efeito da alta rotatividade, em que nomes como Fernando Sobral se desdobraram para manter a intensidade coletiva, foi o desgaste no fim. Após explorar os lados em velocidade, cedeu espaço e foi ameaçado com a mesma estratégia. Ademir perdeu grande chance sozinho nos acréscimos.

Ceará x América-MG (SofaScore):

  • Posse de bola: 53% x 47%
  • Finalizações: 15 x 18
  • Finalizações certas: 3 x 1
  • Passes: 356 x 327
  • Faltas: 14 x 13
  • Duelos ganhos: 65 x 55

 

Mudança de plano

Logo aos 15 do 1º tempo, o plano do técnico Tiago Nunes precisou ser desfeito no Ceará: Jael e Bruno Pacheco sentiram lesões e cederam vagas para Yony e Kelvyn. O esquema foi o mesmo, a diferença ficou no perfil dos atletas. A equipe teve dificuldade para prender a bola no ataque.

As mudanças trouxeram impacto para a sequência, apesar da organização no campo. No intervalo, Cléber entrou, apresentando desempenho mais agudo no último terço. Os efeitos devem se estender para o duelo com o Palmeiras, às 21h30, em São Paulo, a depender do nível das contusões.