Vice-presidente do Palmeiras diz que clube acionará Ministério Público e Procon contra o Fortaleza

Após decisão do STJD que o Fortaleza deverá baixar os preços dos ingressos para os palmeirenses, o Tricolor decidiu encerrar as vendas

Legenda: Alexandre Zanotta, vice-presidente do Palmeiras
Foto: Foto: Reprodução

A partida entre Fortaleza e Palmeiras será somente no domingo (22), mas o imbróglio sobre a venda de ingressos para a torcida visitante, que já está aquecendo a partida, ganhou mais um capítulo. Após o Fortaleza decidir encerrar a venda de bilhetes para torcedores palmeirenses, o clube garantiu que acionará o Ministério Público e o Procon do Estado do Ceará.

"A gente já está dando entrada agora com essa informação ao STJD sobre o descumprimento, e a gente também vai se manifestar em relação ao Ministério Público e ao Procon do Ceará sobre esse desrespeito ao consumidor", disse o vice-presidente do clube paulista, Alexandre Zanotta, em entrevista à ESPN.

A fala do dirigente remete à determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva para que o Fortaleza deverá reduza preço de ingressos para a torcida visitante. Para que a decisão não tenha validade prática, o Tricolor encerrou a venda alegando que o Palmeiras não solicitou carga de ingressos visitantes.

"O Fortaleza não concorda com essa decisão. Já suspendemos a venda de ingressos para a torcida visitante. O Palmeiras tinha até a data de ontem (quarta-feira) para solicitar os 10% de carga para a torcida visitante. Ao fazê-lo teria que pagar o valor correspondente aos 10%, o clube não fez. Pelo regulamento da competição desobriga o Fortaleza a oferecer 10% da carga de ingressos disponíveis", rebateu Marcello Desidério.

Para o vice-presidente do Verdão, o clube cearense está descumprindo a lei.

"A atitude do Fortaleza foi não só intempestiva como ilegal. Falta de bom senso. O Fortaleza está descumprindo não só a regra e a lei, mas também uma decisão do STJD".

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?