Velhos conhecidos, Guto e Chamusca travam duelo no Clássico-Rei

Os treinadores de Ceará e Fortaleza, respectivamente, têm histórico de jogos nas categorias de base e realizam o primeiro embate alencarino um contra outro. No confronto, ostentam bom aproveitamento e vitórias importantes

Legenda: Guto venceu o Fortaleza no 1º turno da Série A e eliminou o rival na semifinal da Copa do Nordeste, enquanto Chamusca obteve duas conquistas do Estadual, cada uma por uma das equipes, nos anos de 2015 e 2018
Foto: THIAGO GADELHA / CAMILA LIMA

O Clássico-Rei chega ao último capítulo da temporada 2020 - em números gerais, o 7º confronto entre Ceará e Fortaleza. Dessa vez, o contexto implica diretamente na caminhada da Série A do Brasileiro e tem duelo inédito à beira do gramado cearense: o baiano Marcelo Chamusca contra o paulista Guto Ferreira.

Ouça o podcast 'FortalezaCast'

Os dois treinadores são contemporâneos na carreira e se conhecem desde as categorias de base. Na década de 90, protagonizaram partidas entre Vitória e São Paulo pelo Sub-17, por exemplo. E esse conhecimento, assim como a evolução dos respectivos trabalhos, também entrará na Arena Castelão, domingo (20), às 20h30, pela 26ª rodada, na primeira vez da dupla no choque alencarino. O detalhe: ambos ostentam aproveitamento positivo no retrospecto. As experiências são diferentes, o número de partidas também, mas ocorrem em momentos marcantes da história do confronto.

Ouça o podcast 'CearáCast'

Chamusca, inclusive, com passagem pelos dois rivais. Em votação para eleger as seleções do Século XXI de Vovô e Leão, realizada pelo Diário do Nordeste, o profissional foi escolhido como principal comandante do Alvinegro de Porangabuçu no intervalo.

De todo modo, o número de partidas no Estado entra como circunstância a mais na preparação dos atletas e fortalece o aspecto mental da equipe. Com menos rodagem, Guto tem pela frente uma nova concepção tática no adversário, com um Fortaleza diferente em sistema e estratégia, enquanto o próprio aperfeiçoou o entrosamento da equipe de Porangabuçu e agora conhece melhor as opções.

Vale ressaltar ainda o equilíbrio da dupla ao se enfrentar nas principais competições nacionais. Segundo o portal oGol, de estatística especializada em futebol, o embate Chamusca x Guto ocorreu em quatro oportunidades, curiosamente, todas na Série B.

Em 2017, a dupla alcançou os respectivos acessos à elite em contato entre Ceará e Internacional. E cada um venceu uma, mas quando atuou fora de casa. Primeiro, Guto surpreendeu ao vencer por 2 a 0 na Arena Castelão - gols de Pottker e Nico López. No segundo turno, o troco: triunfo do Ceará com Chamusca, em tento marcado por Lima.

O reencontro entre as partes foi no ano passado. Na última edição da 2ª divisão, o paulista levou a melhor sob comando do Sport. O Leão da Ilha conseguiu triunfo no duelo nordestino com o CRB por 1 a 0, em casa - Guilherme balançou as redes. Na volta, em Alagoas, empate em 1 a 1. O artilheiro do rubro-negro marcou mais uma vez, mas o recém-contratado pelo Fortaleza na época, Edson Cariús, trouxe a igualdade para Chamusca.

Brilho na decisão

“Clássico não se joga, clássico se ganha”, disse Guto Ferreira em uma das coletivas pelo Ceará. Em 2020, foi o treinador que mais dirigiu a equipe no Clássico-Rei e conseguiu resultados expressivos em momentos decisivos da temporada.

O retrospecto, no entanto, começa com um revés pela 2ª fase do Campeonato Cearense. O desafio frente ao arquirrival ocorreu em três competições, mas o Estadual foi o ponto fraco do desempenho. Na Copa do Nordeste e Série A, vitórias: são cinco partidas, dois triunfos e três derrotas.

Assim, Guto soma 40% de aproveitamento. Para o novo compromisso, teve um período mais vasto de trabalho, um trunfo no calendário tão apertado promovido devido ao novo coronavírus. Dentre os embates, venceu ambos por 1 a 0: eliminou o rival na semifinal da Copa do Nordeste e venceu no 1º turno do Campeonato Brasileiro.

Legenda: Guto venceu o Fortaleza no 1º turno da Série A e eliminou o rival na semifinal da Copa do Nordeste, enquanto Chamusca obteve duas conquistas do Estadual, cada uma por uma das equipes, nos anos de 2015 e 2018
Foto: FOTOS: THIAGO GADELHA / CAMILA LIMA

Mais experiência

Marcelo Chamusca chega no Clássico-Rei com bagagem de 12 partidas, alternadas entre Ceará e Fortaleza. E o retrospecto é favorável: cinco vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas. 

O aproveitamento final é de 55,5%, com dois títulos estaduais obtidos no maior duelo do futebol cearense, sendo uma taça para cada lado. “Nós só pensamos em vencer”, indicou o agora treinador tricolor.

Chamusca registra partidas em 2014,2015 e 2018 - período de menor investimento no desporto local. A expertise o fez vivenciar cenários distintos em estrutura, investimento, e também travar duelos com diversos comandantes. O momento leonino, no entanto, traz uma pressão a mais na nova passagem pelo Leão - apesar de estar acostumado ao cenário. Com um triunfo em seis confrontos na Série A, o treinador teve a semana para ajustes no plantel.

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte