Marlon se firma como trunfo tático de Rogério Ceni no Fortaleza; veja funções

Atleta chegou ao Pici como meia articulador, mas foi adaptado para características defensivas e ganhou a confiança do treinador

Legenda: No clube desde 2018, Marlon soma 80 partidas pelo Fortaleza
Foto: arquivo / SVM

O elenco do Fortaleza Esporte Clube tem diversas frentes sob o comando de Rogério Ceni. Com roteiro vitorioso nas últimas três temporadas, há como definir os líderes do grupo, protagonistas e titulares inquestionáveis. Do todo, um nome por vezes é esquecido ou criticado, mas cumpre papel chave na proposta tática e técnica tricolor: o curitibano Marlon Adriano Prezotti, de 30 anos.

O atleta chegou ao Pici em 2018 como meia clássico, o dito camisa 10. Ex-Sampaio Corrêa, trouxe na bagagem também o apelido de ‘Mago’ e a vontade de vencer na carreira. A intensidade o converteu em polivalente com o ex-goleiro: é tanto acionado que se tornou o 12º jogador do plantel.

Powered by RedCircle

Na versatilidade, se adapta a necessidade de cada partida. Contra o Internacional, sábado (19), pela Série A do Campeonato Brasileiro por exemplo, o jogador foi utilizado para suprir uma baixa na lateral direita. Foi titular nos 90 minutos, venceu duelos no chão (3 de 4) e aéreos (2 de 4), além de conseguir acertar 92% dos passes - os dados são do site especializado em estatísticas SofaScore.

Foto: divulgação / Fortaleza

“Sei que as pessoas querem comparar o Marlon com um atacante porque na maioria das vezes ele entra para recompor, e isso é incomparável com Romarinho e Osvaldo. Mas o que ele entrega no sentido tático é muito importante. Hoje ele joga de lateral, volante, sai jogando ou é a primeira peça quando tem necessidade. [...] É um cara que a gente sabe que pode contar em 90 minutos em qualquer situação e quase todas as opções”, explicou o comandante.

Por vezes, o desempenho defensivo sobrepõe os fundamentos de criação e isso faz parte da orientação da comissão técnica. Com as características do elenco, Ceni ‘abriu mão’ do 4-3-3 adotado na Série B e assumiu o 4-2-4 sem um meia articulador. Explorando pontas e volantes com habilidade de passe, redefiniu o próprio estilo e tem Marlon como o trunfo tático da engrenagem coletiva.

Legenda: Marlon participou do título do Fortaleza na Série B de 2018
Foto: JL Rosa / SVM

O atleta foi utilizado como meia, volante, lateral direito, ponta direita e ponta esquerda. Diante do Barbalha, na 2ª fase do Campeonato Cearense, conseguiu flutuar por três posições distintas dentro da partida - habilidade essencial em clubes com menor poder de investimento no mercado.

“Acho que ele se destacou. Começou na esquerda, veio para volante e foi pro lado direito no final. Essa versatilidade é importante para um clube que não tem o mesmo poder aquisitivo que outros grandes, que podem ter 30 jogadores e atletas específicos para cada posição”, avaliou Ceni.

A diretoria do Fortaleza investiu R$ 200 mil para adquirir Marlon do Sampaio Corrêa. Com vínculo até o fim de 2020, o atleta soma 80 partidas e quatro gols. Na galeria de feitos e títulos, tem no Leão a conquista do Estadual, Copa do Nordeste, Série B, acesso à Série A e vaga na Sul-Americana.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte