Em um grande duelo, Holanda derrota a Ucrânia, por 3 a 2, pela Eurocopa

A partida foi realizada neste domingo (13), na Johan Cruijff Arena

Atletas de Holanda e Ucrânia disputam bola
Legenda: A partida entre Holanda e Ucrânia foi muito disputada pela Eurocopa
Foto: Peter Dejong / AFP

Com poucas faltas, um cartão amarelo e um futebol de alto nível técnico, Holanda e Ucrânia realizaram, neste domingo (13), o melhor jogo da Eurocopa. Os holandeses venceram, por 3 a 2, na Johan Cruijff Arena, e assumiram a liderança do Grupo C, ao lado da Áustria, que bateu a Macedônia do Norte.

O primeiro tempo foi, talvez, o mais bem disputado dos últimos anos no futebol internacional. Só faltou um gol, mas não foi por falta de oportunidades. Com um estilo objetivo, rápido e envolvente, os holandeses dominaram a partida, sob o comando de Wijnaldum, que contou com a parceria de Depay.

A Ucrânia, apesar de sufocada pela intensidade do adversário, contou com o esforço de Yarmolenko, um perigo constante para a meta de Stekelenburg. Em um dos últimos lances da primeira etapa, o atacante ucraniano levou a bola até a pequena área, mas o experiente arqueiro saiu muito bem, fechou o ângulo e impediu a abertura da contagem no placar.

Gols no fim

A Holanda voltou para a etapa final com precisão maior nas finalizações e, desta forma, não demorou para tomar as rédeas do jogo. Em menos de 15 minutos, dois gols marcados. Aos seis, Wijnaldum, recentemente contratado pelo PSG, abriu o placar, ao aproveitar um rebote de Bushchan. Aos 12, Dumfries, com boa atuação pela direita, iniciou a jogada terminada por Weghorst.

Wijnaldum comemora gol com língua para fora
Legenda: Novo reforço do PSG, o meia holandês Wijnaldum foi o grande destaque da partida
Foto: Peter Dejong / AFP

Apesar do início ruim, a Ucrânia não se desesperou e manteve sua postura a agressiva no contra-ataque e ainda contou com o talento do capitão Yarmolenko para fazer um golaço de fora da área, aos 30 minutos. Mais quatro minutos e veio o empate, com Yaremchuk, de cabeça, após cobrança de falta.

Os últimos dez minutos foram ainda mais eletrizantes. Aos 39, Aké cruzou da esquerda, Dumfries subiu mais alto que Zinchenko e cabeceou. Bushchan demorou para reagir na jogada e só tocou fraco na bola: 3 a 2, Holanda.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte