Com futuro indefinido, Vilar faz balanço do Ferroviário na Série C

Técnico coral admite frustração por não classificar o Tubarão da Barra para a 2ª fase da Série C, lamenta problemas extracampo ao longo da campanha e deve se reunir em breve com a diretoria para definir o futuro

Legenda: Marcelo Vilar faz avaliação da campanha coral na Série C
Foto: Kid Junior

No último sábado, o Ferroviário goleou o Imperatriz, na Arena Castelão, por 7 a 0, garantindo matematicamente sua permanência na Série C. O time coral, que entrou em campo já sem chances de classificação na 17ª rodada, fez sua parte goleando o frágil adversário, chegando aos 22 pontos e permanecendo na Terceirona para 2021. O clube ainda disputará a última rodada, no sábado (5), às 17 horas, contra o Santa Cruz, no Arruda, para definir sua colocação final da 1ª fase, podendo até terminar na 5ª colocação do Grupo A.

Mas como o clube já definiu sua situação na Série C, o momento é de pensar em 2021, e a primeira indagação a ser feita é a permanência do técnico Marcelo Vilar. O comandante ainda dirigirá a equipe no sábado e depois deve se reunir com a diretoria coral para definir se fica ou não. A definição deve ser breve, afinal, em 23 ou 24 de janeiro de 2021, tem a estreia na Copa Fares Lopes.

"Não teve conversa ainda com a diretoria. Nosso foco era classificar o Ferroviário. Recebi propostas de outros clubes, mas em função daquilo que aconteceu no ano passado, eu preferi ficar até o final. Não foi como a gente esperava, queríamos ter classificado, mas vamos ver o que a diretoria do Ferroviário pensa pro ano que vem. A situação não é fácil, com pandemia, poucos recursos, mas o Ferroviário pagou em dia dentro da realidade dele, ofereceu gratificações por vitória e para classificar, trouxemos jogadores para ganhar menos do que ganhavam em outros clubes. Mas o futebol não é assim tão simples, não é só matemática", pontuou Vilar.

Em seguida, o treinador admitiu que o sentimento por não classificar o time coral para a 2ª fase é de frustração.

"Fica um sentimento de que poderia ter sido um pouco mais. Nós tivemos um time competitivo, mas ao longo da competição tivemos problemas fora de campo e deixamos a classificação escapar. Deixamos pontos escapar, como diante do Manaus, que vencíamos com um jogador a mais e cedemos o empate. Contra o Treze, perdemos chances e eles foram lá uma vez e venceram o jogo. Mas fora dele que complicou, ao tirarem o Ferroviário do Castelão. Foi imperdoável. Se analisar as atuações no Castelão, e lá, no Domingão, é uma diferença muito grande".

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados