Com Chamusca, todos os centroavantes do Leão já marcaram gols

Tricolor de Aço finalizou mais de 40 vezes e marcou quatro gols em três jogos sob comando do novo treinador, que tem se mostrado satisfeito com o desempenho ofensivo da equipe

wellington paulista
Legenda: Wellington Paulista é o artilheiro do Fortaleza na Série A e na temporada
Foto: Camila Lima

Desde que chegou, o técnico Marcelo Chamusca deixou claro: a tendência seria de poucas mudanças na forma do Fortaleza jogar. O trabalho de Rogério Ceni vinha sendo bem feito e a transição de filosofia seria de maneira gradual. E é possível perceber como o novo comandante mantém o esquema do anterior e tem tido um bom retorno dos atacantes. Afinal, todos os centroavantes do elenco já marcaram gols com o atual treinador.

A vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, no último domingo, a primeira de Chamusca no retorno ao Tricolor, teve a marca dos goleadores. Bergson abriu o caminho para o triunfo e David selou o placar.

O camisa 17 já havia marcado na derrota por 3 a 2 para o São Paulo, em partida que marcou a estreia de Marcelo na área técnica. Neste mesmo jogo, Wellington Paulista também balançou as redes.

Centroavantes de origem, Wellington Paulista e Bergson vivem bom momento. O WP9 é o artilheiro do Fortaleza na temporada, com 11 gols marcados, tendo ainda contribuído com três assistências.

Já "Bergshow", como tem sido chamado pela torcida leonina, balançou as redes três vezes em somente seis jogos, igualando a marca do ex-atacante do Ceará com a camisa do Alvinegro, na Série A, em duas temporadas atuando pela equipe alvinegra. Em 2019, ele fez três gols em 22 partidas jogadas. Em 2020, foram 5 jogos sem balançar as redes.

Apesar de não ser centroavante fixo, David tem atuado várias vezes na função e está correspondendo. Já marcou 10 gols na temporada, além de quatro assistências para gols dos companheiros.

A efetividade do trio tem sido reflexo também da boa produção ofensiva do Fortaleza. Nos três jogos que realizou sob comando de Marcelo Chamusca, o time finalizou 41 vezes, média superior a 13 por partida, algo que tem agradado o treinador. Justamente por isso, a tendência é de manutenção da filosofia e, aos poucos, incremento de algumas novas ideias.

"Tivemos um bom equilíbrio e fomos muito eficientes. Não pretendo fazer mudanças muito drásticas, mudar sistema, tentar implementar conceitos, algo que se precisa de um tempo para fazer com que os jogadores assimilem. O que não vai conseguir treinando um ou dois dias. O que eu pretendo fazer é preservar a ideia de jogar, o modelo de jogo, mas criar alternâncias", disse Chamusca.

Preferência

O novo treinador, aliás, tem preferência por atuar sempre com um jogador "camisa 9", que faça o papel de referência ofensiva, algo que nem sempre era utilizado por Ceni, que optava, em muitos jogos, por utilizar quatro jogadores velocistas, sem utilizar um centroavante de origem. No cenário atual, Wellington Paulista, Bergson e David devem seguir se alternando na posição.

O Leão volta a jogar nesta quinta-feira, às 20 horas, contra o Goiás no Castelão.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte