Análise: mais do que jogar bem, o Ceará precisa de resultados

Mais uma vez o Vovô pecou nas finalizações e sequência sem vencer começa a pesar

Legenda: O Vovô tem errado demais nas conclusões de jogada e deixado os resultados escaparem
Foto: LC Moreira / SVM

O Ceará fez nessa quarta-feira (20) seu 8º jogo na "Era Tiago Nunes" e perdeu por 2 a 1 para o Palmeiras, no Castelão, em jogo atrasado da 19ª rodada da Série A. E destes 8 jogos, em apenas dois a equipe jogou mal, exatamente os dois primeiros, contra Grêmio (derrota por 2 a 0 em Porto Alegre) e Santos (empate em 0 a 0 no Castelão). Nos demais, o time criou boas chances, foi melhor que os adversários, mas só venceu um jogo destes outros 6, quando bateu a Chapecoense por 1 a 0 no Castelão.

Já são 5 jogos sem vencer e a proximidade da zona de rebaixamento incomoda, já que, embora tenha agradado nos empates contra Inter, São Paulo e Bragantino, o time parece no limite técnico. Apesar da luta, não evolui na tabela.

E o agravante na fase difícil é a pressão do torcedor, que estava com saudade do time pela ausência nos estádios, e quando está presente, quer a vitória, seja contra um adversário fraco como a Chapecoense, ou o forte Palmeiras.

Filme repetido

Contra o Verdão, que vinha mal no 2º turno, mas venceu o Inter em casa na rodada anterior, o Ceará mereceu sair na frente no 1º tempo. As finalizações de Erick e Vina foram bem feitas e pararam em Weverton. E quando a fase não é boa, sair na frente é fundamental. Tomar o gol de falta no fim do 1º tempo complicou as coisas pro Alvinegro, que fez um 2º tempo apenas mediano, vulnerável ao contra-ataque do Palmeiras.

Contra o Juventude fora de casa, igualmente pressionado - um jogo de 6 pontos e fundamental para a permanência do Vovô na Série A -, não pecar nas finalizações será fundamental para o êxito.

Escolhas

O técnico Tiago Nunes declarou, em entrevistas anteriores, que mudanças na escalação seriam constantes pela maratona de jogos e característica de jogo dos adversários. E contra o Palmeiras, ele voltou a mudar o time, com Lima e Gabriel Santos de titulares.

Lima jogou bem e, querido pela torcida, tem a tranquilidade para errar e depois acertar. Mas Gabriel Santos não. Pela 1ª vez como titular, sentiu o jogo e a torcida. O atacante não acertou nada que tentou, pela ansiedade, a equipe perdeu força na jogada aérea que tinha com Cléber e Tiago precisa rever a utilização dele para não queimá-lo.

Futuro

Contra o Juventude, Tiago vai ter que mudar outra vez, já que não terá Vina. O meia-atacante tem atuado melhor, cria muitas oportunidades, mas falta conseguir balançar as redes, como no lance que Weverton defendeu.

Legenda: O meia Vina está suspenso ao receber o 3º cartão amarelo diante do Palmeiras
Foto: LC Moreira / SVM

O treinador está fazendo o time jogar mais solto, criando chances, mas no futebol o resultado é mais importante que o desempenho, principalmente na situação pela qual passa o Ceará, de pressão por resultados. Por isso, vencer o Juventude em Caxias será determinante para o futuro do Ceará e de Tiago Nunes na Série A.

 

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte