Alessandro da Silva é bicampeão paralímpico no lançamento de disco

O atleta superou a própria marca e estabeleceu um novo recorde nos Jogos Paralímpicos

Alessandro da Silva mostra bandeira do Brasil e comera com medalha de ouro
Legenda: O brasileiro Alessandro da Silva confirmou favoritismo e foi ouro no lançamento de disco
Foto: Walter Roberto / CPB

Alessandro Rodrigo da Silva, o Gigante, confirmou o favoritismo e conquistou o bicampeonato paralímpico no lançamento de disco da classe F11 (deficientes visuais) nos Jogos de Tóquio. Com 43,16 metros, o brasileiro assegurou sua segunda medalha de ouro na prova - a primeira foi no Rio, em 2016 - e quebrou o próprio recorde paralímpico.

Alessandro também é o dono do recorde mundial, com 46,10 metros, além de ser bicampeão mundial da prova (2017 e 2019). A prata ficou com iraniano Mahdi Olad, com 40,60m e o bronze foi para o italiano Oney Tapia, com 39,52m.

Em Tóquio, o paulista de Santo André, de 37 anos, já havia conquistado uma outra medalha, a de prata no arremesso de peso da classe F11, evento em que foi medalhista de bronze no Mundial de 2019.

Antes de Alessandro, o Brasil já tinha faturado outro ouro no lançamento de disco nesta edição das Paralimpíadas, com Claudiney Batista, na classe F56, para cadeirantes.

Atletismo do Brasil

Esta é a terceira medalha brasileira no atletismo na noite desta quarta-feira (1º). Marivana Oliveira conquistou a prata no arremesso de peso da classe F35, e Mateus Evangelista foi bronze no salto em distância na T37.

Assim, o Brasil soma 51 medalhas nas Paralimpíadas de Tóquio, sendo 16 ouros, 13 pratas e 22 bronzes - ocupando a 7º colocação no quadro geral. No atletismo, o País está na 3ª posição com 8 ouros, 5 pratas e 6 bronzes.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte