Movimento Brega se torna Patrimônio Cultural Imaterial do Recife

A iniciativa busca valorizar a expressão artística, incentivando a cadeia produtiva que atua nele

Movimento Brega Patrimônio Cultural Imaterial do Recife
Legenda: O Projeto de Lei de autoria do vereador Marco Aurélio Filho (PRTB) passou por duas votações na Câmara Municipal da capital pernambucana até ser aprovado, no mês de junho
Foto: Marcos Pastich/Prefeitura do Recife

O prefeito do Recife, João Campos, sancionou na tarde desta quinta-feira (1º) a lei que declara Patrimônio Cultural Imaterial do município o movimento Brega. A iniciativa busca valorizar a expressão artística, incentivando a cadeia produtiva que atua nele.

O Projeto de Lei de autoria do vereador Marco Aurélio Filho (PRTB) passou por duas votações na Câmara Municipal da capital pernambucana até ser aprovado, no mês de junho.

De acordo com o parlamentar, o assunto será incluindo nas discussões de políticas públicas, pois o movimento Brega "é a chance de capacitar e tirar jovens da situação de vulnerabilidade social".

Missão social

Na ocasião, o prefeito João Campos, lembrou sobre as dificuldades enfrentadas pelos representantes do gênero musical e considerou ser preciso que o poder público compreenda como a cidade é feita, fazendo menção à cultura, aos movimentos, ao respeito.

"Vocês são influenciadores nas comunidades, nos bairros da cidade, na juventude. Como a gente trabalha para o brega ser a porta de entrada para ajudar a uma criança, um jovem, tá dentro da escola. A gente tem que unir tudo isso,  com muita seriedade e muito compromisso", explicou.

"Em Recife não tem espaço para preconceito, não tem espaço para diminuir a cultura. O brega é uma manifestação nossa, um patrimônio nosso e que a gente possa ver ele crescendo com o tempo”, acrescentou.

Origem periférica

Como representante do Brega, a cantora Michelle Melo agradeceu a consideração e o reconhecimento dado ao movimento.

"O brega é um movimento que nasceu na periferia com moradores que sabiam do seu valor e que não desistiram até chegar aqui. Para muitos pode ser uma música cantada, dançada, mas para cada um de nós aqui, o que o brega fez não dá pra mensurar: sobrevivemos dele", destacou.

"Eu queria que as pessoas começassem a ver o brega não como uma música, mas como um movimento dos cidadãos de periferia, que tiveram coragem de mostrar que também têm o direito de brilhar”, pontuou a artista.

Apogeu

O Brega experimentou seu apogeu no Recife e revelou grandes artistas nacionais, a exemplo do cantor e compositor Reginaldo Rossi, o "Rei do Brega".

Cantor Reginaldo Rossi
Legenda: Cantor Reginaldo Rossi emplacou diversos sucessos no movimento e ficou conhecido como "Rei do Brega"
Foto: Divulgação

De estilo mais romântico, com canções que retratam relacionamentos e dissabores amorosos, o "patrono" do movimento explodiu em todo o Brasil com sucessos como "Garçom", "A raposa e as uvas", "Mon amour, meu bem, ma femme" e "Recife, minha cidade", homenagem à capital pernambucana, pela qual ele nutria verdadeira paixão.

“Aos que infelizmente não puderam chegar até esse momento, eu deixo o meu obrigado, como Reginaldo Rossi. Infelizmente não pode ver essa vitória”, lamentou Michelle Melo.

Além do vereador que foi o autor do Projeto de Lei, Marco Aurélio, e o presidente da Câmara Municipal Romerinho Jatobá, estiveram presentes também os representantes do movimento brega Estilo Bregoso, Diego Zica, Tiago Gravações, Palas, Elvis, Neiff, Valquíria Santos, Michelle Melo, Sheldon, Dany Myler, Vitória Kelly, Eliab e Alexandre do Brega Bregoso.

Quero receber conteúdos exclusivos do É Hit