"O amor nos tempos de lonjura": antologia formada apenas por mulheres ganha lançamento

Gestada durante a pandemia de Covid-19, coletânea evoca a escrita como possibilidade de encontro entre almas e sentimentos, mesmo à distância

Legenda: Ilustrados por quatro artistas, textos da obra são escritos por 25 mulheres de todas as partes do Brasil
Foto: Ilustração: Lara Tavares

A potência da escrita de mulheres em meio às limitações impostas pela pandemia de Covid-19. É a partir dessa perspectiva que a antologia "O amor nos tempos de lonjura" foi idealizada e, agora, ganha os olhos do público.

A live de lançamento da obra acontece nesta terça-feira (29), às 19h, no instagram do projeto Mirada Janela Cultural (@miradajanela). Na ocasião, as escritoras cearenses Vitória Andrade e Naiana Íris, organizadoras do material, tecerão detalhes acerca da concepção e desenvolvimento da proposta, sob o tema "A união poética em tempos de pandemia".

Publicado pelo selo editorial Mirada da Janela, espaço dedicado às artes, o livro foi inteiramente gestado durante a quarentena e tem capa e contracapa feitas pelas mãos da escritora e psicóloga cearense Lisiane Forte. Conta também com curadoria de Argentina Castro, Bia Lopes, José Honorato Batista, Sabrina Morais e Stefany Mendes. O prefácio é assinado por Carolina Delboni e o posfácio por Mika Andrade.

Os textos - ilustrados por Jéssica Iancoski, Lara Tavares, Lisiane Forte e Rebeca Gadelha - são escritos por 25 mulheres de todas as partes do Brasil. A intenção em abrir a chamada para autoras de todo o País abraçou a ideia de conhecimento das mais variadas vozes, potências e corações.

"O que fizemos, reunindo essas mulheres, é um ato político, um ato que precisa ser ouvido. Eu queria poder abraçar todas e lê-las através do tato, mas, por enquanto, as vejo e as sinto na arte pujante da escrita", considera Vitória Andrade.

"O amor nos tempos de lonjura" está disponível para download gratuito no site do Mirada Janela Cultural.

Afetos e diversidade

A coletânea abraça mulheres cis, trans, negras e brancas, entrelaçando, assim, a união de multiplicidades e sublinhando o pensamento de que é possível todas estarem perto, mesmo à distância.

"Reunir estas mulheres, tão diferentes e tão iguais no amor, na lonjura e, sobretudo, na necessidade de luta, é mais um passo na nossa busca por espaço. E é grandioso. É maravilhoso. É pela busca de Ser", destaca Naiana Íris.

Legenda: Teor das produções abrangem diferentes possibilidades, tendo como norte o afeto em meio à distância
Foto: Ilustração: Lara Tavares

Ela ainda enfatiza o teor das produções, capazes de abranger diferentes possibilidades. "Alguns textos são como um abraço acolhedor diante dos tempos sombrios; outros, são socos que nos esfregam na face, no espírito e no estômago a intensidade do sentir".

Ao que Vitória Andrade complementa, afirmando que o livro é a prova de que o toque físico é uma das tantas possibilidades que o afeto pode proporcionar.

"Em tempos de sombras, de incertezas e medos, é o palpitar do sentimento por si e pelo outro que mantém as retinas acesas".

O amor nos tempos de lonjura
Várias autoras
Organização: Vitória Andrade e Naiana Íris

Selo editorial Mirada da Janela
2020, 76 páginas
Download da obra disponível neste link

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?