iMessage, Discord e Signal: conheça alternativas ao WhatsApp

WhatsApp, Instagram e Facebook estão fora do ar nesta segunda-feira (4)

iMessage, da Apple, é uma das alternativas para a troca de mensagens instantâneas durante a instabilidade do WhatsApp.
Legenda: iMessage, da Apple, é uma das alternativas para a troca de mensagens instantâneas durante a instabilidade do WhatsApp.
Foto: Shutterstock

Os aplicativos WhatsApp, Instagram e Facebook estão fora do ar desde o fim da manhã desta segunda-feira (4). Outros aplicativos de troca de mensagens, como Telegram, também apresentaram instabilidade à tarde. Diante da pane, e considerando ser o primeiro dia útil da semana, usuários estão tendo de buscar alternativas para se comunicar na internet.  

Conheça algumas alternativas que, até agora, estão funcionando: 

iMessage 

O serviço de mensagens instantâneas da Apple permite trocar vídeos, textos, imagens, documentos e até mensagens desenhadas à mão de forma gratuita. Porém, é válido somente para quem tem iPhone, iPad, iPod Touch e computadores Mac.

Utiliza wi-fi ou dados móveis. 

Discord 

No Discord, é possível criar um ambiente controlado por convite para troca de mensagens em grupo ou duplas. Você tem a possibilidade de baixar o programa ou de utilizar a versão para o navegador.

Para se cadastrar, é preciso informar e-mail, nome de usuário, data de nascimento e senha.  

Signal 

Desenvolvido pela Signal Foundation, uma organização sem fins lucrativos, o Signal permite trocar mensagens de texto e de voz, assim como imagens e arquivos gratuitamente, da mesma forma que o WhatsApp. Eles têm, inclusive, design semelhante.

Todas as mensagens são criptografadas. O app está disponível para o navegador e para o celular (Android, iPhone ou iPad).  

Com a queda do WhatsApp, o aplicativo de mensagens escreveu no Twitter: “Os logins estão aumentando no Signal (bem-vindos!)”. "Também sabemos como é trabalhar durante uma interrupção e desejamos o melhor para os engenheiros que trabalham para retornar o serviço em outras plataformas", acrescentou.