Sanduíche Whopper Costela do Burger King não tem costela, revela empresa

Tem apenas "aroma de costela", declarou a rede de fast food. Procon proibiu venda do sanduíche no Distrito Federal

Produto foi lançado em dezembro de 2021
Legenda: Produto foi lançado em dezembro de 2021
Foto: hoope

Após a repercussão do MC Picanha sem picanha, do MCDonald's, mais uma rede de fast food é acusada de enganar clientes por falta de ingredientes em produto. Usuários das redes sociais afirmam que, apesar do nome, o sanduíche Whopper Costela, do Burger King, não tem costela nos ingredientes.

De acordo com o porta Uol, o próprio Burger King confirmou que o hambúrguer do sanduíche é feito com paleta suína e tem apenas "aroma de costela".

Em nota enviada ao portal, o Burger King declarou que, desde o lançamento do produto, "sempre comunicou com clareza em todos os seus materiais de comunicação a composição do hambúrguer presente no sanduíche, produzido à base de carne de porco (paleta suína) e com aroma 100% natural de costela suína", sem aditivos e conservantes.

A empresa ainda afirma em comunicado que "a transparência para com os nossos clientes é um valor fundamental e inegociável" e que "todas as informações sobre a composição do produto podem ser facilmente identificadas nas peças publicitárias, cardápios e demais materiais oficiais do Burger King".

Procurado, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) ainda não se pronunciou sobre o caso.

Venda proibida pelo Procon

O Procon proibiu o Burger King de vender o hambúrguer Whopper Costela em todo o Distrito Federal. O órgão da Secretaria de Justiça e Cidadania do Governo local considerou que há ‘publicidade enganosa’ na comercialização do sanduíche com ‘hambúrguer produzido à base de paleta suína e aroma de costela’.

"A informação sobre a real composição do sanduíche não é disposta de modo claro e ostensivo na publicidade do produto, induzindo o consumidor a erro", registrou o órgão, em nota. Segundo o Procon, a decisão se dá ‘pela urgência em se coibir infração que atinge um grande número de consumidores’.

O Burger King não pode vender o sanduíche até a ‘correção total da publicidade’, sob pena de sanções como multa, apreensão dos produtos ou até interdição do funcionamento das lojas da rede, diz o Procon.

"Mais uma vez, vemos uma grande rede cometendo infração grave na publicidade de seus produtos. No caso do Burger King, a forma como o nome ‘costela’ é utilizado e como é feita a publicidade do sanduíche levam o consumidor a entender se tratar de sanduíche feito de costela, e não que contém apenas aroma de costela. Se não está claro para o consumidor, é publicidade enganosa", defende o diretor-geral do órgão, Marcelo Nascimento

Na quinta-feira (28) o Procon deu uma decisão similar, proibindo o McDonald’s de vender os sanduíches McPicanha no DF após constatar que o lanche não tem picanha na composição.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil