Rússia é a principal fornecedora de fertilizantes ao Brasil; conflito com Ucrânia já provoca aumento

Somente no ano passado, 23% dos adubos ou fertilizantes químicos importados vieram do país europeu. Conflitos com a Ucrânia podem afetar mercado internacional

Fertilizantes da Rússia
Legenda: Cerca de 70% de todo o fertilizante usado na agricultura no Brasil é importado de outros países e Rússia é a principal fornecedora
Foto: Shutterstock

Cerca de 70% de todo o fertilizante usado na agricultura no Brasil é importado de outros países. Somente da Rússia, uma das principais fornecedoras, foram adquiridos 23% de todos os adubos ou fertilizantes do ano de 2021, segundo dados do Ministério da Economia. As informações são do G1.

O total representa mais de 9,2 milhões de toneladas dos insumos, usados para melhorar a produtividade do solo. Ao todo, os produtores brasileiros compraram 41,6 milhões de toneladas, somando US$ 15,1 bilhões.

Considerando as matérias-primas para os fertilizantes, de acordo com dados do Itaú BBA, do total comprado pelo Brasil, vieram da Rússia 20% dos nitrogenados, 28% do potássicos e 15% dos fosfatados. Cada produção necessita de um fertilizante diferente para se desenvolver, dependendo de quais nutrientes precisa. 

Aumento de preços dos fertilizantes

O conflito no leste europeu provocou aumento no preço dos fertilizantes no mercado internacional. Na segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que caso as sanções econômicas impostas à Rússia prosperem, poderão prejudicar o agronegócio brasileiro. 

"Nenhum país quer que as sanções os atinjam, o Brasil não é diferente. Estamos trabalhando como nosso embaixador Ronaldo Costa, de modo que o Brasil não seja prejudicado nessa questão, porque se prejudicar o nosso agronegócio, como fica nossa segurança alimentar? Sem fertilizante no Brasil você de imediato perde a produtividade. E a inflação de alimentos?", indagou.

 

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil