PF cumpre mandados contra desembargadores do TRT-RJ em desdobramento de operação que afastou Witzel

Operação Mais Valia busca cumprir mandados de prisão e busca e apreensão após determinação da Procuradoria-Geral da República

Governador afastado Wilson Witzel
Legenda: Há, ainda, outras frentes de investigação em curso envolvendo o grupo político do governador afastado.
Foto: Agência Brasil

A Polícia Federal abriu, nesta terça-feira (2), a Operação Mais Valia, que busca cumprir mandados de prisão e busca e apreensão contra desembargadores do Tribunal Regional de Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) e advogados ligados ao governador afastado Wilson Witzel (PSC).

As ordens foram expedidas pela ministra Nancy Adrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após determinação da Procuradoria-Geral da República (PGR). Ao todo, os agentes deverão cumprir 11 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão no Rio de Janeiro. Não há identificação dos procurados até o momento.

Ação foi aberta seguindo investigações que levaram ao afastamento de Witzel do governo fluminense em agosto de 2020. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), um possível pagamento de vantagens indevidas a magistrados é apurada. Eles, em contrapartida, teriam beneficiado o grupo político do governador afastado.

As medidas cautelares, cumpridas no Rio de Janeiro, decorreram de vasto acervo de provas apontando para a prática de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa” afirmou o MPF.

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decidiu aceitar, no mês passado, a primeira das três denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal contra Wilson Witzel. O ex-juiz foi ao banco dos réus por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro seguindo a Operação Tris in Idem.

Há, ainda, outras frentes de investigação em curso envolvendo o grupo político do governador afastado.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil