Pastor de Goiatuba que prometeu ressuscitar no 3º dia após a morte é enterrado

Huber Carlos Rodrigues afirmava em documento, escrito em 2008, que voltaria a vida três dias após falecer

Colagem com uma foto do pastor Huber Carlos Rodrigues ao lado do registro do momento em que o caixão com o corpo do religioso é enterrado
Legenda: A funerária manteve os restos mortais conservados em uma sala refrigerada até o encerramento do prazo de três dias
Foto: reprodução

O corpo do pastor evangélico Huber Carlos Rodrigues foi enterrado, nesta segunda-feira (25), em Goiatuba, Goiás. Inicialmente, a esposa do religioso chegou a impedir o sepultamento do marido, que faleceu na última sexta-feira (22), devido a um documento em que ele afirmava que ressuscitaria no terceiro dia após a morte.

Em respeito ao pedido da viúva, os restos mortais do homem foram conservados em uma sala refrigerada até o fim do prazo: às 23h30 do terceiro dia. Ao verificar que ele continuava sem vida após o período, o corpo foi liberado para o sepultamento.

Durante o enterro, pessoas exigiram, em coro, que a tampa do caixão fosse aberta, mas o coveiro negou a solicitação. Apesar dos protestos, a cerimônia aconteceu normalmente.    

Huber Carlos Rodrigues faleceu em decorrência de complicações cardiorrespiratórias em um hospital de Itumbiara, a 55 km de Goiatuba. 

Em um documento, assinado por ele em 2008, o pastor afirmava ter tido uma revelação divina do Espírito Santo e que passaria por um “mistério de Deus”, onde ressuscitaria três dias após sua morte, às 23h30. 

“Minha integridade física tem que ser totalmente preservada, pois ficarei por três dias morto, sendo que no 3ª dia, eu ressuscitarei. Meu corpo durante os três dias não terá mau cheiro e nem se decomporá, pois o próprio Deus terá preparado minha carne e meu cérebro para passar por essa experiência”, diz o texto. 

Documento em que pastor afirma que ressuscitaria no terceiro dia após a morte
Legenda: Ainda na declaração, o religioso diz que, por meio da sua ressurreição, pessoas passariam a ouvir a mensagem de Deus e a crer nela
Foto: reprodução

A declaração não foi registrada oficialmente em um cartório, mas foi assinada por duas testemunhas. O advogado da família confirmou a existência do documento. 

A Prefeitura de Goiatuba informou, via nota à TV Anhanguera, que a Vigilância Sanitária chegou a notificar a funerária, na segunda-feira, a realizar o sepultamento imediato do corpo, baseada em uma resolução que dispõe sobre o Controle e Fiscalização Sanitária do Translado de Restos Mortais Humanos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados