Mulher recebe cachorro morto após banho em pet shop no Distrito Federal

'Devolveram meu filho morto', desabafou a tutora nas redes sociais. A Polícia Civil investiga o caso

Cachorro que morreu em pet shop durante secagem no Distrito Federal
Legenda: O spitz alemão de 1 e 4 meses não tinha doença pré-existente e já tinha tomado banho no mesmo local outras vezes
Foto: reprodução/Facebook

A empresária Larissa Marques foi surpreendida, na quarta-feira (15), ao receber o corpo do próprio cachorro, Flock, duas horas após ter o deixado para tomar banho em um pet shop da Asa Norte, no Distrito Federal. Após o ocorrido, ela publicou um vídeo nas redes sociais denunciado o caso."Eles devolveram meu filho morto". 

Segundo a tutora, o spitz alemão de 1 e 4 meses não tinha doença pré-existente e já tinha tomado banho no mesmo local outras vezes. Ela teria deixado o animal no estabelecimento por voltas das 10h, e foi contactada às 12h30 sobre a morte. Ao questionar o responsável técnico pelo empreendimento, o veterinário Luis Gustavo Silveira, ele não soube explicar o que havia ocorrido com o animal. 

“Eu tinha deixado o meu cachorro lindo e bem. Deu pra ver nas imagens da minha câmera que ele estava feliz no meu colo. Quando cheguei lá, ele (veterinário) entregou o cachorro morto na minha mão. Ele que foi me dar a notícia. Me disse que não sabia o que tinha acontecido e que não podia fazer nada”, relatou ao jornal Correio Braziliense. 

O caso aconteceu na Clínica Veterinária Personal Dog, que informou, em nota, que o cachorro "desmaiou" durante a secagem, e que "recebeu todos os procedimentos de primeiros socorros aplicáveis, incluindo técnicas de reanimação cardiorrespiratória", no entanto, não resistiu.

"Minha advogada, que é protetora de animais, está tomando todos os procedimentos necessários. Na hora que o meu cachorro passou mal, ele deveria ter me ligado, porque eu poderia ter sido transferido para uma UTI de cachorro e estar vivo", declarou a tutora ao portal brasiliense. 

Um boletim de ocorrência para apurar a causa da morte do cachorro foi aberto na 5ª Delegacia de Polícia. O estabelecimento também registrou um B.O. contra a tutora, que, segundo a clínica, danificou equipamentos do local após o ocorrido.  

Ao G1, a empresária relatou ter encontrado um machucado na pata de Flock. Ela encomendou um exame de autópsia no animal, que deve ser realizado pela Universidade de Brasília (UnB). O resultado será apresentado à Polícia Civil. 

O que diz o petshop

"Dia 15 de setembro de 2021, recebemos a senhora Larissa Carvalho e seu cão, o spitz alemão FLOCK, para realização de banho. O animal foi recepcionado na Clínica Veterinária Personal Dog às 9:30h e estava aparentemente saudável e bem.

O banho foi feito sem intercorrências. Passou-se então para a secagem dos pelos de FLOCK, com secador comum e utilizando as melhores e seguras práticas veterinárias. Durante esse processo, por volta das 11:00h, notou-se que Flock havia desmaiado, sendo trazido às pressas para a Clínica. O animal foi examinado e recebeu todos os procedimentos de primeiros socorros aplicáveis, incluindo técnicas de reanimação cardiorrespiratória.

Flock estava hipotenso e, apesar de todos os esforços de nossa equipe, não melhorou. Ao meio-dia seu falecimento foi infelizmente constatado, sendo a senhora Larissa Carvalho imediatamente contactada e avisada a respeito do acontecido.

Nós da Personal Dog nos solidarizamos com a família de FLOCK e entendemos perfeitamente a dor que a morte de um animal querido causa a uma família. Dessa maneira, colocamos-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos necessários à família ou autoridades sobre o ocorrido, reforçando nosso posicionamento a favor dos animais e seu bem-estar”.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil