Caso Eliza Samudio: ex-policial é condenado pela Justiça a 22 anos de prisão

Conhecido como Zezé, condenado pode recorrer da decisão para responder em liberdade

José Lauriano de Assis Filho e Eliza Samudio
Legenda: O ex-policial civil José Lauriano de Assis Filho, o Zezé, é acusado de envolvimento no assassinato de Eliza Samudio, em 2010
Foto: Reprodução Instagram

O ex-policial civil Lauriano de Assis Filho, considerado um dos culpados pela morte da modelo Eliza Samudio, foi condenado, nessa quinta-feira (26), a 22 anos de prisão. A sentença foi proferida após decisão de júri popular no Fórum de Contagem, em Minas Gerais. Conhecido como Zezé, ele pode recorrer da decisão para responder em liberdade. As informações são do jornal Extra.

Lauriano de Assis Filho permaneceu livre por 11 anos, mesmo após ter sido acusado de envolvimento no assassinato da vítima, morta em 2010, a mandado do goleiro Bruno. O julgamento durou 18 horas e foi feito em dois dias. 

Além do homicídio, pesaram contra Zezé, também, os crimes de sequestro, cárcere privado da modelo, ocultação do cadáver, corrupção de menores e coação no curso do processo.

A mãe de Eliza Samudio, Sônia Moura, acompanhou as notícias sobre o julgamento a distância, por meio da advogada dela, e manifestou insatisfação com o veredito. "Esse 'podendo recorrer em liberdade' é desolador. Esse é meu sentimento hoje", alega.

Prisão nunca ocorreu

Embora o juiz Elexander Camargos Diniz tenha pedido prisão preventiva de José Lauriano em julho de 2015, o ex-policial nunca foi detido. Zezé respondeu ao processo em liberdade, sendo o último envolvido no assassinato de Eliza a ser julgado.

O advogado do ex-policial, Rodrigo Simplicio, diz que a defesa já entrou com recurso na 2ª instância para contestar a decisão do julgamento.

Conforme o advogado, o réu foi absolvido de alguns dos crimes pelos jurados, mas condenado pelo de homicídio e sequestro de Bruninho Samudio, filho da modelo. O juiz teria entendido que não seria possível absolvê-lo dos delitos, tendo proferido sentença mais dura. "Agora, ele vai para casa esperar todo o trâmite em 2ª Instância", diz.

Outros julgados

Todos os réus julgados pelos crimes contra Eliza e o filho foram condenados, com exceção de Dayane Rodrigues, ex-esposa de Bruno — ela foi absolvida das acusações.

Uma das namoradas de Bruno à época, Fernanda Gomes de Castro, foi condenada a cinco anos pelo sequestro e cárcere de Eliza e Bruninho, mas cumpriu a pena em liberdade. Nesse ínterim, ela se graduou em Direito, e atua como advogada em um escritório.

O braço direito do ex-ídolo do Flamengo, Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, recebeu pena de 15 anos de prisão por homicídio qualificado. Ele foi beneficiado por uma confissão parcial do crime, cumprindo a pena, há quatro anos, em regime semiaberto, assim como o goleiro.

Já o ex-policial Bola, que teria sido apresentado a Bruno e Macarrão por Zezé, foi condenado a 22 anos de prisão por envolvimento no caso. Até março de 2020, Bola trabalhava durante o dia e voltava para a Casa de Custódia de Polícia Civil, em Belo Horizonte (MG), para dormir.

Em 2016, Bola também foi condenado a 12 anos de prisão devido à morte do carcereiro Rogério Martins Novelo, ocorrida no município de Contagem (MG) em 2000. Em razão da pandemia de Covid-19, Bola foi autorizado a ir para o regime domiciliar. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados