A CBF não tolera ligas

Confira a coluna desta sexta-feira (11) do comentarista Wilton Bezerra

Imagem da fachada da CBF
Legenda: A CBF é a principal gestora do calendário do futebol brasileiro
Foto: divulgação / CBF

Um grupo de times da série A, do qual participam Ceará e Fortaleza, denominado "Forte Futebol" deseja formar uma Liga.

É bom repetir que a CBF, por faturar mais que os clubes, não tolera Ligas.

Já abordamos o assunto neste espaço com a crônica "As Ligas Incomodam".

Incomodam a CBF e o seu monopólio no futebol.

Todos estão lembrados do episódio envolvendo a Liga do Nordeste.

Tomada pela soberba a "casa do futebol" deu uma cancelada na Copa do Nordeste.

A competição só voltou a ser realizada através de decisão da justiça, porque a CBF correu o perigo de perder dinheiro.

Dinheiro, sim. As questões esportivas na CBF são secundarizadas  em favor de grana e prestigio.

Todos nós sabemos que foi o amadorismo da cartolagem responsável pelos problemas atravessados pelo futebol brasileiro.

A CBF precisa deixar de tratar os clubes como seus concorrentes.

Deixá-los crescer com real poder, através de uma Liga que os conduza dentro da maneira europeia de administrar futebol.

A CBF continua agindo como se os clubes só existissem por causa dela.

Finge que aceita uma Liga para agradar os clubes, num momento de turbulência política que atravessa.

Por isso tudo, não creio que essa "Força Futebol", como embrião de mais uma ideia de  Liga, faça a revolução que o nosso futebol precisa.

Faltam lideranças.