2W Energia vai construir parque solar no Ceará com investimento de R$ 800 milhões

Previsão é gerar 700 empregos durante a construção. Capacidade será de 204 MW

Legenda: Obras do parque eólico que a 2W constrói no Ceará. Empresa também terá um complexo solar em Icapuí
Foto: Divulgação/2W Energia
Página apoiada por:

A 2W Energia construirá um parque de geração de energia solar em Icapuí, no litoral leste do Ceará. Serão investidos R$ 800 milhões, com projeção de gerar 700 empregos durante a construção. As informações foram obtidas por esta Coluna em primeira mão.

De acordo com o CEO da empresa, Cláudio Ribeiro, as obras devem começar no segundo semestre de 2023, e a conclusão está prevista para junho de 2024.

Veja também

O empreendimento, chamado de projeto Kairós Solar, terá potência instalada de 204 MW – o suficiente para abastecer 300 mil residências por mês – e ficará em uma área de 650 hectares. A energia produzida será comercializada no mercado livre.

A empresa já conversa com fornecedores de placas solares e equipamentos, além de projetistas.

Conforme Ribeiro, o complexo solar utilizará parte da infraestrutura do parque eólico Kairós, que já está em obras em Icapuí.

"A gente identificou uma medição de radiação solar importante nessa área e desenvolveu esse projeto solar. É um projeto híbrido, porque utiliza no mesmo local a mesma infraestrutura do projeto eólico".
Cláudio Ribeiro
CEO da 2W Energia

Somados, os dois empreendimentos de energias renováveis superam R$ 2,2 bilhões em investimentos.

Parque eólico prevê R$ 1,4 bilhão

Obras do complexo eólico da 2W em Icapuí
Legenda: Obras do complexo eólico da 2W em Icapuí
Foto: Divulgação/2W Energia

Desse montante, o parque eólico, cuja capacidade instalada é de 261 MW (suficiente para abastecer 2 milhões de pessoas), absorverá R$ 1,4 bilhão.

"A gente está, com certeza, se constituindo entre os três maiores investidores do estado do Ceará no setor", ressalta o executivo. 

Segundo ele, já há 400 pessoas trabalhando em Icapuí. No pico, a construção da usina eólica deve gerar mais de 3 mil empregos diretos e indiretos.

Ribeiro destaca que a mão de obra utilizada nos projetos é prioritariamente local, o que contribui para a qualificação dos trabalhadores em um setor que cresce de forma acelerada no Ceará.

"A gente está está entregando e formando uma mão de obra local rotativa, porque, como vai ter muito investimento em energias renováveis, eles acabam sendo contratados para outros projetos de outras empresas", pontua.

Status do projeto

O projeto está em fase de instalações do canteiro de obras, supressão vegetal, construção de estradas de acesso e terraplenagem.

O parque será implantado em duas fases. Na primeira, serão instalados 112,5 MW. Esta fase contará com 25 aerogeradores fabricados pela Vestas, cuja fábrica fica em Aquiraz, a menos de 200 km do local das obras. O Banco do Nordeste (BNB) está financiando a fase 1 do empreendimento, com aporte de R$ 422 milhões.

Já na segunda fase, com previsão de início de obras no 1º semestre de 2023, serão instalados 148,5 MW, com 33 aerogeradores de 4,5 MW cada.

Investimento na área social

A empresa também está investindo aproximadamente R$ 10 milhões em compensação social em Icapuí, desenvolvendo projetos à comunidade.

Um deles é o subsídio financeiro à elaboração do Plano Diretor do Município de Icapuí, em parceria com a Prefeitura do município e o meio acadêmico do Ceará. 
 
“Acreditamos que a construção do Complexo Eólico Kairós resultará em um importante avanço no desenvolvimento da região, com a criação de postos de trabalho e aumento da arrecadação de impostos. Além disso, a elaboração do Plano Diretor do Município de Icapuí, quando concluída, se constituirá em um importante legado a ser deixado pelo empreendimento para o longo prazo”, afirma Luis Rahuan, diretor do projeto Kairós. 

 



Assuntos Relacionados