Porto do Pecém já estuda construção de 3 novos berços de atracação nos próximos 5 anos

Maia Júnior comentou sobre a iniciativa do Governo de impulsionar a transição energética no Ceará através dos investimentos no terminal

Legenda: Porto do Pecém já está estudando o investimento em 3 novos berços de atracação de navios. Investimento deverá ser feito nos próximos 5 anos.
Foto: Fabiane de Paula

O Complexo do Pecém inaugurou uma série de equipamentos novos na última quinta-feira (10) – incluindo um novo portão de acesso (Gate 2), uma nova ponte (Ponte 2) para os píeres e um novo berço de atracação (berço 10) –, com um investimento total de R$ 772,8 milhões.

Mas as próximas expansões já estão sendo estudadas, com o terminal portuário ganhando 3 novos berços nos próximos cinco anos, o que pode potencializar a movimentação de cargas. A informação foi confirmada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Estado, Maia Júnior.

Os novos investimentos ainda deverão passar pela avaliação da direção do Complexo, que irá considerar a evolução da demanda por serviços e novos negócios firmados e instalados no terminal. Mas as expectativas são mais que positivas, segundo Maia, já que o Pecém registrou, em 2021, uma movimentação de mais de 22,4 milhões de toneladas e superou o Porto de Suape, em Pernambuco, como segundo mais importante terminal no Nordeste. 

Transição energética

Entre os planos do Estado para o Complexo, revelou Maia, estão a consolidação de um projeto para transição energética para o Ceará, com a busca constante por novos investimentos em hidrogênio verde, gás natural e energias renováveis. 

Enquanto o Complexo planeja as novas expansões, o Estado, segundo Maia, está articulando a atração de empresas dos setores de geração de energias renováveis e fabricação de equipamentos para o setor. O foco é também aproveitar o crescimento do mercado de usinas eólicas offshore. 

No segmento do gás natural, Maia comentou que a intenção é garantir investimentos para um novo terminal, impulsionado o fornecimento de energia no Estado. Atualmente, o Complexo do Pecém já conta com a operação do Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito de Pecém (TR-Pecém), administrado pela Petrobras. 

Legenda: Secretário de desenvolvimento econômico do Ceará, Maia Júnior falou sobre os planos para atrair um novo terminal de gás natural para o Porto do Pecém
Foto: Thiago Gadelha

Descarbonização

Os novos investimentos, segundo Maia Júnior, deverão auxiliar o Ceará no processo de descarbonização da economia, reduzindo a utilização de combustíveis fósseis e impulsionar o uso de energias renováveis, além de transformar o Porto do Pecém em um hub de produção e exportação de hidrogênio verde.