Novo investimento de R$ 2,35 bilhões no Complexo do Pecém deve criar 8 mil empregos

Terminal privado deverá servir para armazenar vários tipos de cargas e integrar o Porto à ferrovia Transnordestina

Legenda: Projeto tem como objetivo a a integração logística da Transnordestina Lógistica S.A (TLSA) e da Ferrovia Transnordestina Logística S.A. (FTL S.A)
Foto: Carlos Marlon

Um novo investimento no Complexo do Pecém deverá gerar cerca de 8 mil empregos nos próximos anos. Prevendo um aporte de R$ 2,35 bilhões, o projeto da Nordeste Logística (NELOG) conta com uma área de 83,5 hectares e deverá contar com quatro terminais para o transporte de minério de ferro, grãos agrícolas, fertilizantes e contêineres, e estar totalmente operacional a partir de 2026. 

O Terminal Portuário de Uso Privado (TUP) da NELOG deverá integrar os terminais à ferrovia Transnordestina, melhorando questões logísticas relacionada ao transporte de carga nos próximos anos na região. Além disso, segundo José Roberto Correia Serra, diretor da NELOG, a expectativa é de que o empreendimento gere pelo menos 2 mil  empregos diretos na fase de obras, e 6 mil diretos e indiretos quando estiver totalmente operacional.

Serra ainda revelou que as obras deverão ser iniciadas em 2023. 

“Nossa expectativa é iniciar as obras em 2023 e entrar na fase operacional plena em 2026, com os quatro terminais ativos. Além da geração de emprego, o TUP NELOG trará impacto significativo na arrecadação tributária do Estado e na movimentação do Porto do Pecém”, disse. 

A perspectiva relacionada aos novos postos de trabalho foi enaltecida pelo prefeito de São Gonçalo do Amarante, Marcelo Ferreira Teles.

"Nossa ideia é que esses postos de trabalho fiquem na região e beneficiem os municípios próximos ao Pecém. Trabalharemos na capacitação da população para que possamos ter uma mão de obra qualificada e que atenda a demanda do Terminal", afirmou.

Os investimentos da NELOG integram um pacote de cerca de R$ 9,5 bilhões em aportes privados no setor portuário no Brasil, que foram autorizados em 2021 ou estão em análise na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) para autorização em 2022. A lista conta com investimentos em Aratu (BA), Miritituba (PA), Porto Murtinho (MS), Paranaguá (PR), Pitimbu (PB), Marajó (PA), Porto Velho (RO).

Licenciamento ambiental

Na semana passada, segundo informações da gestão do Complexo do Pecém, foi realizada uma audiência pública para a apresentação do projeto da NELOG e dos estudos ambientais do empreendimento. A apresentação serviu para esclarecer as dúvidas da comunidade local e das autoridades sobre o novo terminal, que tem como objetivo a integração logística da Transnordestina Lógistica S.A (TLSA) e da Ferrovia Transnordestina Logística S.A. (FTL S.A), com as modalidades de transporte rodoviário e aquaviário.

“Nosso objetivo é discutir, com toda a população cearense, os impactos e benefícios que o Estado pode ter com a instalação do projeto, além de esclarecer as dúvidas inerentes aos estudos ambientais”, disse o gerente de controle ambiental da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), Waslley Pinheiro

A Semace, agora, terá 20 dias para receber as respostas dos investidores relacionadas às dúvidas não esclarecidas durante a reunião do último dia 27. 

Receptividade

Sobre o projeto da NELOG, Rebeca Oliveira, diretora de Relações Institucionais do Complexo do Pecém, comentou ser um passo importante para dar continuidade ao processo de evolução do empreendimento no Ceará. 

“Estamos totalmente preparados para receber o TUP NELOG. Neste ano, o Porto do Pecém completa 20 anos e não temos dúvida de que seguiremos evoluindo”, disse.