Polo Químico de Guaiúba deve ter pelo menos mais uma empresa operando ainda neste ano

Previsão foi apresentada pelo presidente do Sindiquímica. Empreendimento deverá gerar mais 2 mil empregos em até 10 anos, projetou Paulo Gurgel

Legenda: Pelo menos mais 4 empresa já estão se estruturando para começar a operar no Polo Químico de Guaiúba
Foto: Fabiane de Paula

O Polo Químico de Guaiúba poderá contar com a inauguração de pelo menos mais uma empresa ainda em 2022. A informação foi confirmada por Paulo Gurgel, presidente do Sindicato da Indústria Química do Ceará. 

Ele destacou que pelo menos 4 empresas já estão se instalando no empreendimento inaugurado oficialmente nesta quinta-feira (17), mas todas em estágios diferentes de operação. Uma das empresas já está finalizando as obras estruturais, enquanto outra espera apenas a liberação dos trâmites legais para começar a produzir

As outras duas estão ainda em processos inciais e devem levar mais tempo para serem concluídas, então deverão ser inauguradas apenas em 2023. 

Empresas confirmadas

A lista de empresas confirmadas para o Polo Químico de Guaiúba conta com a CB Plásticos, a Fortfix, a Topázzio Colchões, a Wana Química, e IntraPlast, esta última que já iniciou as operações desde o ano passado.

"Temos uma que está terminando de ser construída, uma que está aguardando apenas os trâmites legais para começar a operar, uma em terraplanagem, e outra começando os alicerces. Eu acredito que esse ano mais uma inaugure, e no ano que vem poderemos ter duas ou três. E nos próximos anos seremos 24 indústrias", disse Paulo Gurgel. 

Legenda: IntraPlast já está operando no Polo Químico de Guaiúba
Foto: Fabiane de Paula

Empregos gerados

O presidente do Sindiquímica ainda enalteceu o potencial de geração de empregos do projeto em Guaiúba, que poderá ofertar mais de 2 mil oportunidades de trabalho no município. O número representa quase 10% da população da localidade.

Contudo, o projeto deverá estar consolidado, com todas as 24 empresas previstas operando, apenas daqui a no mínimo 5 anos. O prazo máximo para o Polo atingir "plenitude", segundo Gurgel, é de 10 anos. 

"Pelo tamanho do Polo, pode demorar 5 a 10 anos para chegar à plenitude, quando deve gerar 2 mil empregos diretos e vários outros indiretos, o que deve ter um impacto positivo na Região e no município de Guaiúba, que deve ter uma melhoria nos índices de desenvolvimento humano. Vamos gerar cerca emprego para 10% da população do município, o que é muito coisa", disse.