Investimentos em energia renovável entram na mira do Governo do Estado na Dinamarca

Sedet está negociando investimentos com uma empresa de câmaras frigoríficas para impulsionar a economia do mar e a exportação de frutas pelo Porto do Pecém

Legenda: Oportunidades de negócio no complexo portuário do Pecém são foco da agenda do Estado na Europa
Foto: Carlos Marlon

Uma agenda para além do hidrogênio verde. Após anunciar o interesse de grandes empresas globais, como a Shell, o secretário de desenvolvimento econômico e trabalho do Estado, Maia Júnior, confirmou que terá uma série de encontros para impulsionar acordos no setor de energia renovável para o Ceará em Copenhagen (Dinamarca).

Além disso, o Governo do Estado teve uma reunião de negócios com uma empresa do segmento de câmaras frigoríficas para tratar de possíveis investimentos no Porto do Pecém que podem ser importantes para impulsionar a economia do mar e a exportação de frutas. 

Todos esses compromissos fazem parte de uma viagem de negócios do titular da Sedet pela Europa, acompanhando o governador Camilo Santana, que deve terminar na COP26 (26ª edição da Conferência do Clima das Nações Unidas), em Glasgow, na Escócia. 

"Temos uma agenda cheia aqui no Porto de Roterdã, tivemos uma reunião com uma empresa de câmaras frigoríficas, que é um investimento importante para a economia do mar e a exportação de frutas e dos pescados. Tivemos uma reunião com investidores, um almoço de trabalho, e devemos participar de um roadshow em um evento promovido pela embaixada, com a apresentação de oportunidades no Ceará para os investidores europeus", disse Maia. 

"Na quarta devemos ir à Dinamarca, em um evento organizado pelo embaixador do Brasil, para visitar empresas de energias renováveis e que têm o interesse de conhecer melhor as oportunidades do estado do Ceará", completou o secretário, projetando a processo de atração de novos investimentos. 

Vale ressaltar que para garantir a produção de hidrogênio verde em larga escala, com um número grande de empresas já confirmando interesse de investir no Ceará, o Estado precisará ter uma boa oferta de energias limpas, usadas durante o processe de eletrólise. 

Hidrogênio Verde

Com reunião marcada com a multinacional holandesa Shell, sobre possíveis investimentos em hidrogênio verde no Ceará, Maia Júnior afirmou que todos os protocolos que poderiam ser assinados com o Estado já foram confirmados. No entanto, as equipes da Sedet estão trabalhando em pelo menos 5 novos acordos para investimentos desse segmento no futuro. 

O processo ainda demanda rodadas de negociações e, claro, as decisões das empresas interessadas. 

"Todos os protocolos que tínhamos para assinar, nós assinamos, no total de 12. Existem  mais 5 sendo trabalhados pelas nossas equipes", afirmou Maia.