Prefeitura começa a discutir aumento no preço da passagem de ônibus; IPTU não deve ter reajuste

A elevação de custos para as empresas do setor e outras questões relacionadas à pandemia deverão ser analisadas na definição de um aumento, que deve ser baseado em um estudo

Legenda: Em Fortaleza, debate sobre aumento da passagem de ônibus começará em novembro
Foto: José Leomar

Os estudos da Prefeitura de Fortaleza para rever o preço das passagens de ônibus serão iniciados no próximo mês de novembro, considerando o aumento de custos que as empresas do setor enfrentam com o encarecimento dos combustíveis e outras questões.

A informação foi confirmada pelo prefeito José Sarto (PDT), nesta sexta-feira (29), durante evento do Lide (grupo de lideranças empresariais no Ceará). 

Apesar da perspectiva em relação à tarifa do transporte público, o chefe do Executivo da Capital revelou que a Prefeitura não tem planos para promover reajustes na cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) nos próximos meses. 

"A tarifa de passagem de ônibus já vem sendo mantida sem alteração há três anos e nós temos, agora, o primeiro estudo científico sobre o assunto, que eu recebi há alguns dias sobre o origem-destino da história de Fortaleza, mostrando todas as necessidades de fluxos de trabalhadores e nós vamos fazer esse debate da tarifa em cima disso", disse.

José Sarto ainda ressaltou que a Prefeitura mantém contato com os empresários do setor de transporte público e que os dados sobre fluxo de passageiros e demanda serão usados para determinar os valores do próximo reajuste.

"A data base é novembro, mas eu tenho mantido contato com o sindicato das empresas e ônibus e eles têm sido parceiros com relação a colocar frota extra em horário de pico, tendo a gente custeado R$ 48 milhões da Prefeitura e R$ 48 milhões do Estado. Mas a gente sabe que caiu a demanda de passageiros de ônibus por dia, então vamos discutir para oferecer um transporte público de qualidade", disse.

Reajuste do IPTU

Apesar da perspectiva em relação às passagens, o prefeito de Fortaleza garantiu que, no momento, não há planos para reajustar o valor do IPTU nos próximos anos. 

"Já a planta de IPTU, eu confesso que há uma defasagem, mas eu não quero fazer esse debate agora. Quero fazer esse debate mais na frente, dependendo da economia", disse.

Contato com empresários 

Sobre a relação com o empresariado da Capital, a presidente do Lide Ceará, Emília Buarque, ressaltou a abertura para o diálogo do Executivo municipal, destacando o papel do empresariado no desenvolvimento econômico e social da cidade. 

"Tivemos um encontro extremamente positivo, e é importante destacar que ficou claro para o prefeito que muitas das questões pautadas aqui são sociais e que não cabe mais aos empresários apenas gerar empregos. Eu entendo que o mundo moderno direciona para que os empresários pensem sempre nos aspectos sociais, econômicos e ambientais", disse. 

Além disso, Emília ainda confirmou que sugeriu ao prefeito a entrada de alguns empresários no grupo de aconselhamento de Fortaleza, que reúne membros da academia e ex-prefeitos da Capital. 

"Nós conversamos com o prefeito sobre a existência de um conselho da cidade, que é formado pela academia e ex-prefeitos, eu sugeri a entrada de empresários para dar uma visão mais pragmática sobre alguns assuntos", comentou. 

Festa de ano novo

Outro assunto comentado no evento do Lide foi a possibilidade de realização de uma festa pública de réveillon em Fortaleza.

José Sarto, sem dar muitos detalhes, disse apenas que Prefeitura segue analisando o caso e já há modelos sendo discutidos para o possível evento.

No entanto, a pauta segue em discussão com o comitê responsável pelas questões relacionadas à pandemia na Capital. 

O prefeito, no entanto, elogiou o trabalho de realização dos jogos de futebol por Fortaleza e Ceará e indicou que parte dos sistemas de comprovação vacinal ou testagem usados nesses eventos esportivos podem ser adaptados para garantir os protocolos sanitários em uma festa de réveillon.