Ceará deve receber R$ 12 bi em investimentos em energia nos próximos 8 anos

Informação foi confirmada pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

Investimentos fazem parte de um planejamento do Governo Federal para otimizar a matriz energética do Brasil e garantir novas fontes de geração, disse Bento Albuquerque
Legenda: Investimentos fazem parte de um planejamento do Governo Federal para otimizar a matriz energética do Brasil e garantir novas fontes de geração, disse Bento Albuquerque
Foto: Fabiane de Paula

O Ceará deverá ganhar um novo suporte para geração e transmissão de energia nos próximos anos por parte do Governo Federal. Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o Governo Federal deverá investir pelo menos R$ 12 bilhões nesses segmentos nos próximos 8 anos.

A informação foi confirmada a esta coluna durante uma entrevista exclusiva ao Sistema Verdes Mares nesta quarta-feira (6).

Segundo o ministro, esses investimentos fazem parte de um planejamento do Governo Federal para otimizar a matriz energética do Brasil e garantir novas fontes de geração nos próximos anos.

“De acordo com o nosso planejamento deverão ser investidos, em geração e distribuição de energia, mais de R$ 12 bilhões só aqui no estado Ceará nos próximo 8 anos”
Bento Albuquerque
Ministro de Minas e Energia

“Serão cerca de R$ 9,5 bilhões em geração de energia e R$ 2,5 bilhões em transmissão de energia. O Ceará e o Nordeste já são exportadores de energia para o Brasil”, completou.

As perspectivas fazem parte dos estudos da Pasta para melhor o setor de energia do País e de uma avaliação dos impactos da crise energética gerada pela falta de abastecimento de recursos hídricos.

Atualmente, a matriz energética brasileira depende 60% das fontes hidráulicas, segundo dados do Ministério de Minas e Energia (MME).

“A expansão deve continuar porque se geramos energia, precisamos ter condições de transportar esse potencial para outras regiões”, disse o ministro. 

“O Nordeste tem gerado muita energia solar e eólica e tem exportado para outras regiões do País, como o Sudeste, onde ficam os reservatórios que são como as baterias do sistema e que estão com nível muito baixo”, completou.