Ceará Credi: Adece fecha parceria e já tem 400 novos pedidos em novo posto de microcrédito

Instituições terão posto do Ceará Credi instalado na Assembleia para atendimento de micro e pequenos empreendedores

dinheiro esquecido
Legenda: Programa de micro crédito do Estado já financiou mais de 26 mil iniciativas
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Os cearenses que estão buscando recursos de empréstimo em microcrédito fornecido pelo Governo do Estado terão mais um ponto de acesso e concessão.

A Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) assinou um acordo de cooperação com a Assembleia Legislativa do Ceará para implementação de um posto Programa de Microcrédito Produtivo do Ceará (Ceará Credi) na estrutura da casa legislativa. E a unidade já conta com 400 empreendedores cadastrados para iniciar o atendimento.

Segundo o presidente da Adece, Francisco Rabelo, a iniciativa serve como meio de ampliação ao apoio aos pequenos empreendedores no Estado, aumentando, também a capilaridade do programa.

"O Ceará Credi é um programa que veio para ficar como política pública de Estado, atendendo a população mais vulnerável. Queremos apoiar esses pequenos negócios logo nas suas aberturas, gerando renda entre a população mais vulnerável. A parceria com a Assembleia chega como uma importante estratégia para dar maior capilaridade e alcance ao programa", disse Rabelo.

Já o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Maia Júnior,  afirmou que Ceará Credi tem sido um programa importante para impulsionar a economia nas comunidades mais pobres, facilitando acesso ao crédito para micro e pequenos empreendedores.

"O Estado está irrigando crédito junto aos mais vulneráveis para gerar novas perspectivas e oportunidades para essas famílias, que vão liderar negócios junto as comunidades mais pobres. E essa parceria chega para facilitar o acesso desse crédito junto aos micro e pequenos empreendedores", disse Maia.

Balanço do projeto

Segundo dados da Adece, os recursos do Ceará Credi tem ajudado, principalmente, empreendedores dos setores de comércio e serviços, tendo atendido mais de 41 mil pessoas e financiado mais de 26 mil iniciativas. Ao todo o projeto já emprestou mais de R$ 69 milhões, e opera em parceria com Instituto E-Dinheiro e Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT). 

Além disso, segundo a  diretora de Economia Popular e Solidária da Adece, Silvana Parente, o programa de micro crédito do Estado tem sido uma importante ferramenta de reinclusão de pessoas no mercado de trabalho. 

“O programa visa uma inclusão produtiva de forma que, além da geração de renda, viabilize a geração de emprego. Para cada novo empreendedor que o programa financia, cerca de 30% desse público são pessoas que estavam desempregadas. Com o acesso ao crédito e a possibilidade de crescimento dos negócios, novas oportunidades serão geradas e assim seguimos com um ciclo virtuoso”, pontua Silvana.