Os impactos das novelas nos lares e nas músicas

Os folhetins e seus personagens também interferiram nos rumos do cancioneiro popular brasileira; veja cinco exemplos

Tarcísio e Glória
Legenda: Tarcísio Meira e Glória Menezes na novela "Irmãos Coragem"(1970)
Foto: Reprodução/Globo

Mesmo que esse espaço seja destinado à música, é difícil fugir de uma perda que abalou inúmeros na última semana. Faleceu na quinta-feira passada Tarcísio Meira, o maior galã da história da televisão brasileira. Junto com sua esposa, Glória Menezes, o ator adentrou nossas casas pelas telinhas no decorrer de mais de 60 anos nos encantando com a arte de interpretar.

A morte do vetereno me abalou de muitas formas. Em primeiro lugar, pelo exemplo de amor no qual Tarcísio e Glória representavam para um país, sentimento que, de alguma forma, todo mundo deseja viver alguma vez na vida como o casal. Outra questão, essa que me fez ficar reflexivo, é como a televisão e, em especial, as novelas fazem parte da nossa história e seus personagens (fictícios e reais) são íntimos nossos.

Dentro desta perspectiva, é impossível não destacar certas trilhas sonoras que imortalizaram na memória popular por meio dos folhetins. É difícil não fazer essa correlação, e assim como os atores, não se tornar íntimos também dos cantores e compositores.

As novelas, entre as décadas de 1960 e 1990, eram tão importantes que discos foram lançados com as faixas musicais temas dos personagens, com direito a capa sofisticada, com arte, bem trabalhada e esses trabalhos eram vendidos em longa escala pois a televisão era a queridinha do Brasil.

Já que estamos falando de Tarcísio Meira e para exemplificar o quão eram importantes as trilhas sonoras nessas histórias, é impossível não falar da novela “Irmãos Coragem”(1970) no qual teve repertório todo original exclusivo para a obra e produzido por Nelson Motta

As canções presentes eram tão ricas que tinham nomes como Dorival Caymmi, Tim Maia, Jair Rodrigues e Villa Lobos. Foi nesse trabalho que ficou popularizado também a música Menina de Paulinho Nogueira, até hoje um dos grandes sucessos do compositor.

Capa Irmãos Coragem
Legenda: Capa do Disco com trilha sonora da novela "Irmãos Coragem"(1970)
Foto: Reprodução

Agora na trilha sonora de “O Homem que deve Morrer”(1971), Tarcísio Meira não se fez somente protagonista da história, como também da capa do disco e até arriscou a cantar junto com sua querida Glória a última faixa do álbum, “O mesmo Sol” de Nonato Buzar

Dentro desse clima musical e noveleiro, caio na linha delicada de fazer listas e menciono cinco temas de aberturas de novelas que embalaram gerações. As faixas ganharam ainda mais sentido como trilhas das tramas e ganharam os lares brasileiros.

inter@

Pecado Capital 

A música Pecado Capital (1975) foi composta sob encomenda para ser tema principal da novela. De autoria de Paulinho da Viola, a música foi gravada pelo artista e virou tema de abertura da novela. “Dinheiro na mão é vendaval”, são versos que marcaram os telespectadores encantados pela história dos protagonistas Carlão e Lucinha.

Dancin’ Days 

Em 1978 as Frenéticas estouraram com o tem Dancin’ Days que dava até nome a novela. A trilha sonora da novela vendeu quase um milhão de cópias e teve como escolha do produtor Guto Graça Mello. A novela alcançou 58 pontos de Ibope na época e até hoje é lembrada nos corações dos noveleiros.

Menino do Rio

A novela Água Viva (1980) tinha como trama dois irmãos disputando pelo amor de uma mulher. O cenário propício do Rio de Janeiro ganhou como trilha sonora de abertura a levíssima Menino do Rio, de autoria do Caetano Veloso e gravada pela Baby do Brasil. A música casava com o espírito também inquieto da novela em um Brasil que lutava por liberdade. Foi um sucesso!

Me chama que eu vou

A lambada nos anos 1990 era um sucesso, e para ser tema de abertura de uma história que envolve drama e comédia, o brega e chique foi escolhido a dançante “Me Chama que eu vou” de Torquato Mariano e Cláudio Rabello na voz do galã Sidney Magal e colocou os noveleiros para dançar!

Fera Ferida

A novela Fera Ferida (1993) não podia ganhar outro tema como a composição de Roberto Carlos de mesmo nome, só que na voz da inigualável Maria Bethânia. A trama baseada na obra de Lima Barreto tinha uma boa trilha sonora incluindo pérolas de Fátima Guedes, Ari Barroso e Rita Lee.



Assuntos Relacionados