Ao conversar com Tasso, Cid e Eunício, Lula quer passar mensagem de abertura ao diálogo

No Ceará, o ex-presidente mantém diálogos suprapartidários na oposição. Mesmo assim, uma frente ampla, neste momento, é improvável.

Ex-presidente Lula e senador Tasso Jereissati
Legenda: O encontro entre o ex-presidente Lula e o senador Tasso Jereissati ocorreu em Fortaleza no escritório do senador
Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula (PT) faz, nesta segunda-feira (23), uma rodada de conversas com lideranças políticas cearenses sobre a conjuntura nacional e sinaliza para abertura de diálogo entre os diferentes atores na oposição ao presidente Bolsonaro.

Lula já esteve com o senador Tasso Jereissati (PSDB) nesta manhã e terá reuniões ainda com o senador Cid Gomes (PDT) e o ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB). 

As conversas de Lula - suprapartidárias - passam a mensagem de construção de diálogos políticos que sinalizem a possibilidade de uma frente ampla de oposição a Bolsonaro em 2022, o ano eleitoral. 

Nome mais forte das oposições, segundo as pesquisas até o momento, Lula está em viagem pelo Nordeste em busca de firmar contatos com petistas e partidos de oposição ao governo.

No Ceará, as agendas com Tasso Jereissati e Cid Gomes são consideradas como surpresas por não estarem na programação e por serem os dois membros de legendas que, no passado ou atualmente, têm algum tipo de rusga com os petistas em nível nacional. 

No ninho tucano

O encontro com o senador Tasso Jereissati é considerado o mais surpreendente. Tasso é um dos líderes nacionais do PSDB, partido que polarizou as disputas com o PT pela Presidência da República entre as décadas de 1990 e 2010.  

Esta coluna apurou que a conversa entre os dois durou cerca de uma hora e ocorreu em um endereço do senador cearense. Tasso tem sido bastante cuidadoso com reuniões presenciais neste período de pandemia, um motivo a mais para compreender a relevância que ele deu ao encontro no momento em que o País passa por uma crise política e institucional. 

Intermédio de Camilo

Com o senador Cid Gomes, a conversa acontece sob a articulação do governador Camilo Santana. Os três estão na Residência Oficial do governo do Estado, onde o encontro ocorre. 

No Ceará, PT e PDT mantém uma aliança desde a primeira eleição de Cid ao governo do Estado em 2006. Entretanto, a parceria vem sofrendo turbulências a partir de críticas feitas pelo ex-ministro Ciro Gomes a Lula e ao petismo. 

Conforme abordamos nesta coluna na última semana, Lula tem tem adotado um tom mais conciliador ao minimizar conflitos locais de olho no projeto nacional. 

Isso aconteceu em Pernambuco, onde se encontrou com lideranças do PSB, apesar dos confrontos ocorridos entre as partes na eleição do ano passado. Agora, no Ceará, os encontros que ocorrem nesta segunda-feira confirmam esse momento de dialogar com os diferentes, feito por Lula. 

Almoço na agenda

Eunício Oliveira no Senado
Legenda: A conversa com o ex-senador Eunício Oliveira era a única que estava confirmada na agenda do ex-presidente Lula

Ainda hoje, o ex-presidente almoça com o ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB). Neste caso, o cearense vem tendo conversas com os petistas em busca de entendimentos e já declarou, por diversas vezes, apoio ao ex-presidente.  

Nacionalmente, o MDB é um dos atores partidários importantes tendo em vista a eleição de 2022. A ideia de ambos é manter um entendimento com vistas às disputas do ano que vem no Ceará; E essa parceria deverá ser tentada em âmbito nacional. 

Recado de diálogo

Após a passagem pelo Ceará, o petista deixa um recado de que não se fechará em si mesmo, apesar de liderar as pesquisas de opinião no momento.

Se os contatos avançarão para uma aliança concreta é difícil prever neste momento. Diria até que é pouco provável que aconteçam.

Não há dúvidas, entretanto, de que a intenção do petista é mostrar que está aberto ao diálogo.