Ao completar um mês à frente do Executivo, Izolda vai começar conversas individuais com deputados

Governadora, que é uma das pré-candidatas do PDT ao governo, inicia segundo passo da estratégia de se aproximar da base aliada

Governadora Izolda Cela recebe deputados estaduais e federais para almoço no Palácio da Abolição
Legenda: Na última semana de abril, a governadora recebeu sua base aliada para um almoço no Palácio da Abolição
Foto: Divulgação

Após um primeiro encontro em conjunto ocorrido no fim de abril, a governadora Izolda Cela (PDT) deve começar a receber, ainda nesta semana, os deputados estaduais e federais, individualmente, acompanhados dos respectivos prefeitos aliados. Essa rodada de reuniões é um segundo passo de aproximação da gestora com sua base aliada no Legislativo.

Uma das maiores demandas dos parlamentares que prestam apoio aos governos no Legislativo é a proximidade com o governante e o atendimento de demandas dos aliados nos municípios. Além de apresentar a situação das cidades, os gestores fazem os pedidos de atendimentos a projetos que beneficiem a população local.

A parceria entre deputados, gestores e lideranças municipais é a base do jogo eleitoral para o preenchimento das vagas no Poder Legislativo.

Além disso, é um “diferencial competitivo” ao parlamentar ser visto como “próximo” da governadora e do Poder Executivo. A maioria das prefeituras, conforme já mostramos neste Jornal, não dispõe de boa capacidade financeira. Muitas não geram nem mesmo 10% do que precisa para se manter.

46 cadeiras
de deputado estadual estarão em disputa nas Eleições 2022

Por isso, é tão importante a parceria com deputados estaduais e federais que possam fazer pontes com os poderes em outro nível da República.

22 vagas
na Câmara Federal são destinadas aos deputados federais cearenses.

Clima político tenso

Receber os parlamentares é um passo a mais na estratégia da governadora Izolda Cela de estar mais perto de sua base aliada, tendo em vista que os entendimentos iniciais foram costurados pelo seu antecessor, Camilo Santana.

Izolda herdou a chefia do Executivo após o petista renunciar ao cargo de olho nas Eleições de outubro. Camilo Santana deve ser candidato ao Senado.

Izolda, por sua vez, é pré-candidata à reeleição e está entre os nomes postos pelo PDT para a disputa de outubro.

Ter uma base sólida e contar com a simpatia dos partidos aliados - em uma aliança ampla - é, sem dúvida, um grande ativo para a definição do grupo governista.

Fogo cruzado

O ambiente no grupo governista está conturbado por conta do clima pré-eleitoral. Izolda e o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, estão mais em evidência na disputa pela cabeça de chapa nas próximas eleições.

Isso tem feito com que aliados de parte a parte deem declarações que demonstram um clima de acirramento entre os pré-candidatos, coisa que não existe diretamente entre eles, perante os holofotes.

Estes movimentos, porém, vêm causando incômodo nos bastidores.