Desta vez, saída de Ceni do Fortaleza não deverá ter retorno e perdão no curto prazo

Treinador e Tricolor precisam se encontrar em rumos diferentes, seja ele dando certo no Flamengo ou não

Legenda: Ceni saiu do Leão do Pici no começo de agosto e foi demitido do Cruzeiro 2 meses depois
Foto: Foto: Thiago Gadelha

Quando Rogério Ceni se despediu do Fortaleza em 2019 para assumir o Cruzeiro, ficou a sensação que o treinador poderia voltar em breve.

Naquela oportunidade, o Fortaleza experimentou o sentimento de ficar sem chão. Veio Zé Ricardo, e o insucesso também chegou a galope, até que o acidente de percurso de Ceni no time mineiro renovou as esperanças de “flashback”. 

O Fortaleza engoliu o orgulho e conseguiu se reencontrar com o treinador. O caminho na Série A se tornou suave até o fim da temporada e classificação para a Sul-Americana veio naturalmente.

Pois bem, nesta oportunidade, uma nova despedida forçada e uma certeza: a torcida do Fortaleza não espere (ou não deveria esperar, nem desejar) um retorno breve de Rogério Ceni.

Explico os motivos: primeiro, o clube precisa chegar ao grau de maturidade para caminhar com as próprias pernas e não ficar à mercê de um profissional.

Em segundo lugar, o próprio Ceni, mesmo que venha a ter insucesso no rubro-negro, deverá procurar outro rumo na carreira.

Uma segunda saída do ex-goleiro é para ser encarada como definitiva, pelo menos no curto prazo. Não deverá ter chances de retornos ou arrependimentos.

Ouça o podcast 'FortalezaCast'

Powered by RedCircle