Rogério Ceni deixa legado de glórias no Fortaleza

O adeus chegava a ser inevitável com a proposta do Flamengo, o melhor time do Brasil e da América do Sul

Legenda: Na temporada, o Fortaleza se sagrou bicampeão cearense em 2020
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Rogério Ceni partiu. A relação de quase três anos com o Fortaleza chega ao fim com um técnico mais fortalecido e um clube atravessando o maior momento da história centenária. Era quase impossível recusar qualquer oferta do Flamengo: o melhor time do Brasil e da América do Sul.

Badalado desde a chegada em novembro de 2017, o ex-goleiro soube se deixar abraçar por uma torcida apaixonada e jamais se portou como alguém maior que a equipe que defendia. O Ceni do São Paulo virou também do Fortaleza.

  • Vitórias: 81
  • Empates: 33
  • Derrotas: 39
  • Gols marcados: 223
  • Gols sofridos: 133
  • Campeão da Série B 2018
  • Campeão Cearense de 2019 e 2020
  • Campeão da Copa do Nordeste 2019
  • Acesso à Série A
  • Classificação às oitavas da Copa do Brasil
  • Classificação para Copa Sul-Americana

O adeus chegava a ser inevitável, assim como o rótulo de maior treinador da história do clube, algo incontestável. Longe de uma relação abalada pela saída, o respeito. Com o profissionalismo apresentando no dia a dia, Ceni apenas provou porque é gigante e, acima de tudo, conseguiu deixar o Leão com dimensões maiores, fruto dos títulos da Série B, Estaduais (2x) e Copa do Nordeste.

É fato: havia medo. Rogério Ceni admitiu. Mas era por reconhecer o tamanho do torcedor. Na saída de campo após a última taça, afirmou: “uma das coisas que mais tenho receio e fico com medo é de não conseguir me despedir disso com a casa cheia. Seria uma tristeza muito grande. Como a gente não sabe como nossa carreira segue, seria a coisa mais triste para mim".

No fim, o que fica é o discurso: criar um legado. A frase foi dita por Ceni na apresentação e se manteve como máxima até aqui. A imagem é de um homem que se integrou ao jogo com tamanha intensidade, que trouxe o foco ao trabalho. Agradecimento é do futebol cearense.

Um adendo: deixa um Fortaleza bem montado no Brasileirão e que pode caminhar com as próprias forças na competição. O desafio agora é encontrar um substituto à altura para alguém que nunca deixou de fazer história a cada passo que deu no Pici.

Ouça o podcast 'FortalezaCast'

Powered by RedCircle