De encostado a herói, Yony González mostra que pode ser o "9" do Ceará na reta final do Brasileirão

Além dos recentes gols, as possibilidades de Yony crescem justamente pela inconstância de Jael e Clebão, que não têm se fixado na vaga de centroavante

Yony González comemora gol marcado pelo Ceará
Legenda: Yony González marcou dois gols nos últimos jogos, mas o custo-benefício não é bom para o clube
Foto: Kid Junior/SVM

A emocionante vitória do Ceará por 2 a 1 sobre o Corinthians, na noite desta quinta-feira (25), teve um herói improvável. Aos 39 minutos, quando o Vovô levou o empate de Roger Guedes, poucos imaginavam que, dois minutos depois, o jogo seria decidido por Yony González. O colombiano garantiu os três pontos na conta e mostrou que pode ajudar o Alvinegro, até mesmo sendo o "camisa 9" na reta final da Série A.

Ele já havia entrado bem em jogos anteriores. Contra o Fortaleza, marcou o 4º gol e participou da jogada do 3º, marcado por Vina. São dois gols nos últimos três jogos, já igualando com Jael em toda a Série A e com bem menos minutos jogados (190 do colombiano contra 820 do camisa 9).

Contra o Atlético-GO, Yony entrou no intervalo e deu mais mobilidade e dinâmica ofensiva que Jael, que foi inoperante no 1º tempo daquela ocasião.

Aliás, as possibilidades de Yony crescem, muito, justamente pela incapacidade que os concorrentes de posição (Jael e Clebão) têm demonstrado de se fixar na vaga de centroavante. Nenhum dos dois consegue mostrar muitos argumentos para ser este jogador.

Yony, então, que vem em retomada de confiança, melhora física e evolução técnica sob comando de Tiago Nunes, pode vir a ser uma opção de "camisa 9" que dá mais movimentação e velocidade no comando do ataque.

Contra o Corinthians, ele resolveu o jogo. Os próximos adversários são Flamengo (F), América-MG (C) e Palmeiras (F). E González mostrou que, ao menos, pode sim ajudar o Ceará nesta reta final de Série A.