Análise: vitória sobre o Palmeiras é reflexo da competitividade do forte Ceará no Brasileirão

Com atuação cirúrgica, Ceará vence o Palmeiras por 2 a 1, chega aos 45 pontos e encerra sequência sem ganhar em casa. De quebra, entra no G-8 e volta forte para a briga por vaga na Pré-Libertadores

Lima Ceará
Legenda: Lima vem sendo destaque do Ceará no Brasileirão
Foto: Kid Junior/SVM

Uma das grandes marcas do Ceará no Campeonato Brasileiro é a competitividade. Seja em casa ou fora, contra adversários da zona de rebaixamento ou de Libertadores, a certeza é de duelos equilibrados em que o time mantém a mesma identidade e forma de jogar. E foi com este padrão que conquistou a grande vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras, neste domingo (24), na Arena Castelão.

Mesmo sem fazer jogos brilhantes, o Vovô sabe jogar o campeonato. Sob comando do técnico Guto Ferreira, é um time que sabe muito bem o que deve executar em campo e consegue, dentro de organização defensiva, com ocupação de espaços e firmeza na marcação, dificultar a vida dos adversários. No ataque, transições rápidas para chegar com a maior velocidade possível em condição de finalização, sendo cirúrgico para converter em gols as oportunidades criadas.

Ouça o CearáCast

Foi exatamente assim contra o Alviverde. É fato que o time visitante teve bem mais a posse de bola (60% x 40%) e até finalizou mais (12 x 9), mas o Ceará soube suportar a pressão quando lhe foi imposta e contra-atacou com efetividade. Foi mais uma atuação forte coletivamente, com alto nível de concentração.

Destaques individuais

O gol de Lima, em erro de Gustavo Scarpa, premiou aquele que vem sendo um dos principais jogadores do time nas últimas rodadas. Foi o terceiro jogo seguido dele balançando as redes adversárias, sem contar com as assistências e participações diretas na construção de jogadas que terminam em gols, como foi no lance do pênalti sofrido por Léo Chú que Vina converteu.

Assim como já havia sido contra o Goiás, a dupla foi novamente decisiva, mas não foram os únicos. Richard voltou a apresentar muita segurança, com defesas importantes e intervenções providenciais; Tiago Pagnussat e Luiz Otávio foram soberanos nos duelos individuais, levando a melhor na maioria dos lances contra os atacantes palmeireises, assim como Fernando Sobral e Fabinho.

Quem destoou e deixou a desejar foi o lateral-direito Samuel Xavier. O Palmeiras construiu as principais jogadas ofensivas nas costas do camisa 22, tanto que o gol marcado por Gabriel Verón, ainda no primeiro tempo, foi originado exatamente no setor que Samuel ocupou.

Fazendo valer o mando

Com a vitória, o Ceará encerrou também um jejum que estava incomodando. Eram seis jogos seguidos sem ganhar como mandante na Arena Castelão, com três empates e três derrotas.

Contra o Palmeiras, o Vovô voltou a fazer valer o mando de campo e atingiu a sexta vitória atuando como mandante.

Objetivos maiores

Chegar aos 45 pontos e selar a permanência era questão de tempo para o Ceará, que atinge objetivo com 6 rodadas de antecedência e vai forte na busca por mais. Com a derrota do Santos, o Vovô "dorme" na 8ª colocação, torcendo por derrota do Corinthians contra o Bragantino, nesta segunda-feira (25), para permanecer na posição.

Com a Sul-Americana bem encaminhada, o sonho da Pré-Libertadores segue vivo. Difícil, é verdade, mas não impossível.

No caos da pandemia, o Ceará já mostrou sua força e pode chegar ainda mais longe.