Medina conquista mundial pela terceira vez e entra em seleto grupo de tricampeões mundiais de surfe

Brasileiro se iguala a Mick Fanning, Tom Curren e Andy Irons, referências no esporte

medina
Legenda: Medina é o melhor do mundo no surfe pela terceira vez
Foto: Reprodução

Um feito histórico. Gabriel Medina conquistou o título mundial de surfe da Word Surf League (WSL) pela terceira vez e entrou para a seleta lista de tricampeões. Medina se iguala a Mick Fanning, Tom Curren e Andy Irons, históricos atletas do esporte. A final aconteceu na praia de Lower Trestles, na cidade de São Clemente, estado da Califórnia.

Finais da WSL

As finais da WSL estavam previstas para acontecer nessa segunda-feira (13), mas a organização precisou adiar as baterias e acionou o "Yellow Alert", por conta de uma intensa neblina em Lower Trestles, na Califórnia. Mesmo sob alerta, os atletas foram para o mar e deram show aos espectadores, que acompanhavam cada manobra da areia.

Número 1 do ranking mundial, Medina aguardou o vencedor da semifinal entre Ítalo Ferreira e Filipe Toledo. Quando entrou na água, Gabriel foi decisivo e venceu as duas primeiras baterias, quando a final previa três, caso fosse necessário.

Maiores campeões:

  • Kelly Slater: 11 títulos
  • Mark Richards: 4
  • Mick Fanning: 3
  • Tom Curren: 3
  • Andy Irons: 3

Final - 1ª bateria (Medina)

Toledo encarou o também compatriota Gabriel Medina, duas vezes campeão mundial, favoritíssimo ao tricampeonato. Na primeira bateria, manobras incríveis encantaram os fãs do esporte. Medina fez um 7.30, em uma onda bom boas rasgadas e depois acertou um aéreo altíssimo, garantindo uma nota 9, a primeira do dia. Filipe marcou um 8.33 e, em seguida, um 7.37, notas que não foram suficientes.

Final - 2ª bateria (Medina)

Na segunda bateria, Medina novamente começou melhor, aplicando um 6.33 e um 8.50 em duas ondas muito boas. Enquanto Toledo fez movimentos precisos para garantir um 7.83.

Tubarão na água

A bateria precisou ser interrompida faltando 18 minutos 35 segundos para terminar, por risco de ataque de tubarão. Depois de 15 minutos de suspensão, os atletas voltaram para a água, mas Filipe Toledo não conseguiu superar o compatriota. No final da bateria, os dois brasileiros se abraçaram na água, em uma demonstração da grandeza do esporte brasileiro.

Semifinal entre Ítalo e Filipe

A semifinal entre os brasileiros Filipe Toledo e Ítalo Ferreira foi emocionante, com notas altíssimas em ondas nem tão altas. Ítalo saiu na frente, com um 5.17, depois acertou um 7.27, com um bonito aéreo. Já Toledo aproveitou as primeiras oportunidades e fez um 7.33, com dois aéreos e, em seguida, marcou um 8.50, finalizando na crista da onda.

No final da bateria, Toledo ainda aproveitou uma onda curta, aplicou duas rasgadas e melhorou a pontuação, com um 7.47. Ítalo Ferreira ainda tentou recuperar, pecou no posicionamento e perdeu algumas ondas importantes. No último minuto, arriscou um incrível aéreo, mas não conseguiu finalizar.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados