Adestrador de Jacó faz apelo contra carros em praias após cão morrer atropelado

O cão mais habilidoso do País estava a poucos dias de embarcar para Inglaterra para competir no maior torneio canino do mundo

Após confirmação da morte de Jacó, o adestrador Vladinir Maciel relata que o falecimento foi decorrente de um atropelamento no Porto das Dunas. O dono estava com a família na praia, que costuma frequentar três vezes na semana. "De repente, quando eu olho, veio uma picape Amarok cinza em alta velocidade. Só que ele não alcançava a minha pessoa ou o Jacó. Mas, ele mudou a direção do carro e foi em direção ao Jacó. Atropelou o Jacó e foi correndo em alta velocidade", recorda.

"Na hora, você fica sem saber o que fazer. Você fica meio que em pânico", lembra.

Depois do incidente, Vladinir colocou Jacó no colo, ligou para o veterinário que o acompanhou durante os treinos e levou para a clínica 24h mais próxima deles. "Eu acho que ele chegou lá já sem vida. Dr. Daniel e Dr. Gustavo, do qual sou muito grato, fizeram de tudo para tentar reanimá-lo, para tentar salvar ele, mas não deu", detalha.

O cão mais habilidoso do País, da raça border collie, estava a poucos dias de embarcar para Inglaterra para competir no maior torneio canino do mundo. Ele iria representar toda a América no Crufts 2019 entre os dias 7 a 10 de março. Ele foi o primeiro cachorro brasileiro a ser selecionado na modalidade de adestramento. "Ele tava muito bem, tudo muito perfeito", pontua.

"Vou tentar ficar com as boas lembranças, foi um cachorro incrível, um cachorro magnífico", enfatiza.

Diante do ocorrido, Vladinir ressalta a importância de fazer uma campanha para não circular carros nas faixas de areia: "A praia não é rua para ter carro. É um local para sair com a sua família, com seu cachorro". 

"Hoje foi meu cachorro, amanhã pode ser você, o seu filho, a sua esposa. Então, carro na praia, não. Praia não é local para ter carro. Essa é minha bandeira agora", destaca.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados