Vídeo: imagens registram ações de grupo que atacou agências bancárias em Araçatuba

Ação criminosa resultou na morte de, pelo menos, três pessoas, duas delas reféns

Assalto em Araçatuba
Legenda: Criminosos transitaram pela cidade protegidos por uma espécie de "escudo humano"
Foto: reprodução

Os moradores de Araçatuba, no Interior de São Paulo, registraram a madrugada de terror causada por um grupo criminoso nesta segunda-feira (30). O bando atacou três agências bancárias na cidade e fez pedestres e motoristas de reféns. Pelo menos três pessoas morreram, sendo dois moradores e um criminoso segundo a Polícia Civil. 

A ação criminosa durou cerca de duas horas, entre ataque às instituições financeiras, tiroteio e fuga, conforme o portal G1. O grupo formado por 20 pessoas estava distribuído em 10 veículos e usou explosivos com infravermelho, espalhados em pontos estratégicos da cidade. 

Em vídeos que circulam nas redes sociais, os criminosos transitaram pela cidade protegidos por uma espécie de "escudo humano" formado por reféns, que também foram obrigados a se agarrarem a lataria de carros em movimento. 

Quatro vítimas foram socorridas com feriamentos e encaminhadas à Santa da Casa do município paulista. Uma delas é um ciclista de 25 anos que teve os pés amputados após ser atingido por um explosivo usado no crime, segundo as informações do portal. 

Para monitorar os movimentos dos agentes de segurança, os suspeitos usaram drones. Eles ainda fecharam algumas entradas da cidade com veículos em chamas, para restringir a entrada de reforço policial, acredita as autoridades. 

Após a investida, eles empreenderam fuga em direção ao Taveira, área rural de Araçatuba, onde houve confronto com os agentes de segurança. Um dos suspeitos foi ferido e morreu e outro, baleado, foi levado à Santa Casa.

Segundo a Polícia Militar, ainda há explosivos espalhados pela cidade que podem ser disparados por calor ou movimento. Por isso, a corporação orienta que todos os moradores não saiam de casa nesta segunda-feira. Policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foram chamados para desativar os explosivos.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP) informou que “estão em andamento buscas para localizar os criminosos”. A nota também informa que “mais detalhes serão fornecidos ao término do registro da ocorrência".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil