Surto de gripe lota unidades de saúde do Rio de Janeiro

Estado registrou aumento de 400% no número de casos de Influenza

Filas devido ao surto de gripe no Rio de Janeiro
Legenda: Fora dos equipamentos, pacientes enfrentam longas filas antes dos atendimentos
Foto: Divulgação/Parceiros do Vidiga

Um surto de gripe deixou unidades de saúde do Rio de Janeiro lotadas na madrugada desta quarta-feira (1º). Os pacientes buscaram atendimento com sintomas de Covid-19, mas a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclareceu que os casos de síndrome gripal. 

Conforme a SMS, 9 mil testes de Covid-19 são realizados por semana. Nos últimos três dias, porém, o número de exames para detecção saltou para 12 mil. Destes, 99% deram negativo, o que reforça a prevalência de gripe no Rio e não a doença pandêmica.

“A maioria dos casos que estamos observando são leves, sem maiores complicações, mas que já causam um aumento de mais de 400% no número de pessoas com síndrome gripal atendidas nas Unidades de Pronto Atendimento da Secretaria Estadual de Saúde. Isso é um alerta pois é um vírus de transmissão respiratória”, declarou o secretário Alexandre Chieppe ao G1.

Aglomeração

Pacientes da CER da Barra da Tijuca relataram à reportagem que ficaram deitados no chão à espera de atendimento por falta de maca. Quem buscou ajuda médica também reclamou da superlotação nas unidades.

Nessa terça-feira (30), Alexandre Chieppe confirmou a queixa dos pacientes e disse que as Unidades de Pronto Atendimento estão operando com escala completa em razão do aumento dos atendimentos. Ainda assim, ele orientou que a população evite a automedicação e procure os equipamentos de saúde aos notar os sintomas de gripe.

"Esse é um surto atípico, fora da época do ano. É a primeira vez que temos um surto de influenza nesta época do ano. A tendência, com o aumento das temperaturas, que a gente diminua o número de casos de doenças respiratórias. Mas é manter as medidas de precaução. O uso da máscara pode também ter uma importância na contenção deste surto”, alertou o secretário.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil