Santa Catarina envia 25 psicólogos para dar amparo às famílias das vítimas de ataque em creche

O atentado causou o óbito de cinco pessoas, entre elas três crianças de pouco mais de 1 ano

Creche Aquarela em Santa Catarina atacada por jovem em maio de 2021
Legenda: O autor do crime tem 18 anos é morador da cidade e não teve a identidade revelada pelas autoridades
Foto: divulgação/Corpo de Bombeiros

Uma equipe de 25 psicólogos estão trabalhando para prestar assistência e amparo à comunidade e aos familiares das vítimas do atentado a uma escola infantil, na cidade de Saudades, em Santa Catarina. O ataque desta terça-feira (4) vitimou cinco pessoas, entre elas três crianças de 1 ano, além de uma professora e uma agente educacional da creche. 

O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Norberto Koerich, reafirmou que toda a estrutura do Governo do Estado será utilizada para elucidar o crime o mais rápido possível. Ao todo, a Polícia Militar deslocou 23 profissionais e a Polícia Civil enviou agentes de três municípios, além do helicóptero da corporação que atua na região.

O Corpo de Bombeiros Militar e o Instituto Geral de Perícias também foram acionados para atender as vítimas, realizar a perícia no local e fazer o translado dos corpos. 

As inciativas fazem parte de uma determinação da governadora Daniela Reinehr, que no mesmo dia do crime esteve na cidade para prestar solidariedade aos parentes. O Governo do Estado declarou luto oficial de três dias devido à tragédia. 

Além da assistência psicológica à comunidade local, a gestora do Executivo estadual ainda solicitou uma investigação completa para elucidar as causas do crime. 

“As pessoas não estão preparadas e nem podem imaginar que algo assim possa acontecer. Eu prontamente acionei as nossas forças de segurança para que estivessem aqui. Não há o que traga de volta essas vítimas nem o que compense essa dor. O momento é de trazer nosso apoio e nossa solidariedade. Nosso zelo é muito maior quando falamos de crianças, que não têm condições de se defender. Hoje nós tivemos aqui também duas heroínas”, afirmou a Reinehr.

O prefeito de Saudades, Maciel Schneider, classificou o dia 4 de maio como o “mais triste da história do nosso município”. 

O autor do crime tem 18 anos e é morador da cidade. Ele tentou suicídio após o ataque, porém foi atendido e, segundo os bombeiros, passou por cirurgia em Chapecó e não corre risco de morrer.

Creche invadida

A escola foi invadida pelo jovem nesta terça-feira, que esfaqueou as vítimas com um facão. 

A creche se chama Aquarela, atende crianças entre dois e seis anos, e está localizada na rua Quintino Bocaiúva, que compreende os bairros Laje de Pedra e Sagrada Família, em Saudades.

As primeiras ligações de socorro teriam sido registradas por volta das 11h, segundo a Polícia Militar. A ocorrência ficou a cargo do 2º Batalhão da PM, da cidade de Chapecó.

Vítimas

A Polícia Civil confirmou o nome das cinco pessoas mortas no ataque a uma escola infantil, na cidade de Saudades, em Santa Catarina, nesta terça-feira (4). As informações são do portal G1.

Entre as vítimas, estão Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, professora da escola; e Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos, agente educacional da creche. 

As crianças mortas são Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses; Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses; e Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses. 

Outra criança, de 1 ano e 8 meses, ficou ferida e precisou passar por cirurgia. 

A professora trabalhava na escola há mais de dez anos, segundo informação da família. Já a agente educacional cursava engenharia química na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), que decretou luto de três dias pela morte dela. Mirla chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Vítimas do ataque
Legenda: Entre as vítimas, estão Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, professora da escola; e Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos, agente educacional da creche
Foto: Reprodução Redes Sociais

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil