Polícia Civil investiga morte de médica encontrada em banheiro de hospital em Pirenópolis

Agentes encontraram um tipo de anestésico e seringa ao lado do corpo da profissional de saúde

médica morre no distrito federal
Legenda: Jayda Bento de Souza morreu aos 26 anos no próprio local de trabalho
Foto: Reprodução/Redes sociais

A Polícia Civil investiga a morte de uma médica de 26 anos encontrada morta no último sábado (25) em um banheiro do Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (Heelj) em Pirenópolis, no Entorno do Distrito Federal. 

Jayda Bento de Souza foi localizada sem vida pelos colegas de trabalho, próximo ao horário em que assumiria o plantão da unidade de saúde. 

Segundo o delegado Tibério Martins informou ao G1, a equipe ouviu a torneira ligada no banheiro e bateu na porta na tentativa de um contato, mas a médica não respondeu. Em seguida, a porta foi arrombada e o corpo da profissional de saúde estava caído no chão.

Ainda conforme Martins, havia um frasco de remédio e uma seringa próximo à Jayda. O fármaco indicava um tipo de anestésico, "usado para regulagem do sono". A confirmação da substância usada por ela, no entanto, depende dos resultados da perícia. 

A polícia deve buscar mais informações sobre o regime de trabalho da médica, se há envolvimento de outra pessoa e se ela faleceu após um choque anafilático, que é uma reação alérgica.

"Sobre o horário de plantão, circulou essa informação [de que a médica estaria trabalhando há 60 horas direto] pelas redes sociais, mas o hospital já desmentiu esta carga horária. Em todo caso, será apurado o regime de trabalho dela no ambiente hospitalar. [...] Nós não descartamos nada nesse sentido", disse ao G1.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil