Novos áudios revelam detalhes do caso de morador em situação de rua agredido por personal trainer

“Eu senti uma coisa tão boa”, disse a esposa do educador físico em uma das mensagens

Agressão
Legenda: personal espanca morador de rua após flagrar traição de mulher
Foto: Reprodução

Novos áudios revelam detalhes do caso de agressão de um educador físico a um morador em situação de rua em Planaltina, no Distrito Federal (DF). A violência ocorreu após o profissional encontrar o homem fazendo sexo com sua esposa dentro de um carro na última quarta-feira (9).

O educador físico chamou a Polícia pensando que sua mulher estava sendo estuprada e depois iniciou as agressões. Em depoimento, porém, ela afirmou que a relação foi consensual. 

Aos investigadores, o personal disse que a mulher enfrenta "um surto psicótico" e não teria capacidade de consentir uma relação sexual. “Não se trata de uma traição conjugal, e, sim, de um crime de violência“, afirmou ele, segundo o portal Metrópoles.

Novos áudios

Em áudios obtidos pela TV Globo, a mulher narrou sua versão sobre o ocorrido. Ao caminhar na rua, ela teria sido abordada pelo morador em situação de rua, que pedia dinheiro. Na sequência, o rapaz teria pedido um abraço: “Me deu vontade de dar um abraço nele”.

Depois disso, os dois foram para dentro do carro, onde o homem teria feito carinho no pé da moça e sugerido que eles fossem para outro lugar. “Eu senti uma coisa tão boa”, disse a esposa do personal trainer, nas mensagens. Eles, então, decidiram marcar um encontro na rodoviária da cidade. Logo após, entraram no veículo mais uma vez e tiveram relações sexuais.

Veja cenas da agressão

A mulher revelou ainda que teve visões de que estaria na presença de Deus. Já em outros momentos, de que o rapaz seria Eduardo, seu companheiro. “Às vezes, eu o enxergava como Deus, às vezes como Eduardo”, afirmou ela.

Depoimento do morador em situação de rua

Em depoimento à polícia, o homem em situação de rua informou que a companheira do personal trainer teria estacionado o carro próximo a ele, o chamado e dito: “Vamos brincar?

Depois, o homem disse ter sido convencido pela mulher a entrar no veículo. O morador em situação de rua afirmou ainda que não conhecia a mulher e não a estuprou.

Após a agressão, os três foram conduzidos à 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina), que investiga o caso. O personal prestou depoimento e foi liberado, mas poderá responder por lesão corporal.

O homem agredido precisou de atendimento médico e foi levado ao hospital. Ele apresentava machucados no rosto e estava com os dois olhos roxos, mas passa bem. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados