Mulher que tomou cápsulas de chá emagrecedor morre após rejeição de transplante de fígado

A enfermeira de 42 anos teve hepatite fulminante

mulher que morreu após transplante de fígado dar errado
Legenda: Maria havia tomado cápsulas de um medicamento com mais de 50 ervas
Foto: Reprodução

Uma enfermeira que foi internada após tomar cápsulas de um chá emagrecedor morreu nesta sexta-feira (4), em São Paulo, depois sofrer a rejeição de um transplante de fígado. Ela teve que se submeter ao procedimento por complicações de uma hepatite..

Maria Abreu tinha 42 anos e era enfermeira do Hospital Santa Joana. O corpo dela rejeitou o transplante no último domingo (30). A família estava à espera de um novo doador. As informações são do g1

A profissional de saúde foi internada no dia 18 de janeiro com fortes dores abdominais. Ela foi diagnosticada com problemas no fígado, que rapidamente se agravaram. 

No dia 21, ela foi transferida para o Hospital das Clínicas, onde aguardou a fila de espera por um transplante. 

Hepatite medicamentosa 

Após o diagnóstico de hepatite medicamentosa, a equipe médica descobriu que o problema veio das cápsulas emagrecedoras que Maria tomou. 

"Aí a gente começou a fuçar as coisas dela, e encontramos na gaveta dela esse chá em cápsulas, e levamos para eles. Foi quando eles constataram, pela composição daquelas cápsulas, que tudo ali era prejudicial ao fígado", disse Márcia Cristina, prima da enfermeira. 

"Quando olhamos o rótulo dessa medicação já podemos identificar diversas ervas conhecidas por serem hepatotóxicas, por fazerem mal ao fígado. Dentre elas, a mais comum e mais conhecida é o chá verde. É muito bem descrito na literatura, há vários relatos e papers que mostram casos de hepatite fulminante causada por uso de chá verde", descreveu a médica Liliana Ducatti Lopes. 

Alerta

Liliana Ducatti Lopes informou que a paciente teve hepatite fulminante. No chá, havia 50 ervas, incluindo chá verde, carqueja e mata verde.

Ela publicou um vídeo de alerta, afirmando que há muitos casos semelhantes ao de Maria, e informando sobre os riscos desse tipo de medicamento. 

"Na grande maioria das vezes [a causa] é medicamentosa. Alguns medicamentos, como anabolizantes e outras medicações usadas, por exemplo Roacutan. Mas, normalmente, se faz uso desses medicamentos com acompanhamento médico e exame de sangue para ver como está a saúde do fígado", explica.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil