Liberdade de autor da facada em Bolsonaro deve ser decidida em até um ano

A ele, foi imposta medida de segurança de internação até 14 de julho de 2022, data que a nova avaliação médica se encerra. A depender do resultado, ele poderá ser solto

Adélio Bispo facada Bolsonaro
Legenda: Em maio de 2019, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, concluiu que Adélio Bispo tem transtorno mental e é inimputável
Foto: Reprodução

A liberdade de Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada no presidente Jair Bolsonaro (sem partido), deve ser decidida em até um ano. As informações são do G1.

O homem foi considerado inimputável - ou seja, não pode ser responsabilizado por suas ações - e lhe foi imposta medida de segurança de internação até 14 de julho de 2022, data que a nova avaliação médica se encerra. A depender do resultado, ele poderá ser solto.

Em agosto de 2020, a Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu mantê-lo preso na Penitenciária Federal de Campo Grande.

Na decisão, os ministros mantiveram a decisão individual do ministro Joel Ilan Paciornik no mesmo sentido e entenderam que Adélio Bispo deveria continuar no presídio devido a sua periculosidade e diante da falta de hospital para tratamento psiquiátrico.

Absolvido

Em junho de 2019, ele foi absolvido pela facada, ocorrida durante a campanha eleitoral de 2018 em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Em maio de 2019, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, concluiu que Adélio Bispo tem transtorno mental e é inimputável.

Atentado

O caso aconteceu no dia 6 de setembro de 2018, quando o então presidenciável Jair Bolsonaro estava participando de um ato de campanha em Juiz de Fora.

O agressor foi detido no mesmo dia e confessou ser o autor da facada, segundo a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil