Lázaro ameaçou policiais antes de ser morto e disse que atiraria no rosto dos agentes

Secretário de Segurança Pública de Goiás aponta o uso uma pistola 380 pel o fugitivo

Secretário de Segurança Pública de Goiás em coletiva de imprensa sobre morte de Lázaro
Legenda: Segundo o titular da pasta de segurança do Estado, Lázaro provavelmente planejava fugir para fora do estado e que o criminoso tinha uma rede de apoio que o ajudava a se esconder.
Foto: Arquivo

Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, ameaçou os policiais militares antes de ser morto em operação, realizada na manhã desta segunda-feira (28). As forças de segurança de Goiás monitoravam os passos do fugitivo há 20 dias. Pela noite de domingo (27), eles conseguiram interceptar um encontro do criminoso. 

Em coletiva de imprensa, o secretário de Segurança Pública de Goiás deu detalhes de como ocorreu a operação. "Foi a partir das 22h30 que começamos o cerco final e viramos a madrugada até que hoje cedo finalizamos a ocorrência e com todos polícias bem e o grande objetivo de não deixar ele machucar mais ninguém", afirmou.

Ele foi para encontrar com elas [ex-mulher e ex-sogra]. Nós estávamos monitorando, estávamos tentando pega-lo. Ele chegou a ameaçar alguns policiais, se entrassem na mata atrás dele, ele atiraria na cara
Rodney Miranda
Secretário de Segurança Pública de Goiás

Segundo o titular da pasta de segurança do Estado, Lázaro provavelmente planejava fugir para fora do estado e que o criminoso tinha uma rede de apoio que o ajudava a se esconder.

"Possivelmente planejava fugir [...]. Não tem indicativo de carro, ele andava a pé pelos canais. Dinheiro no bolso era indicativo de que queria sair do estado ou até do país. Teve mais de uma troca de roupa, o que confirma que ele tinha uma rede que o acobertava", completou.

O secretário disse ainda que nenhum policial foi ferido. De acordo com ele, Lázaro foi baleado, mas socorrido com vida. No entanto, morreu chegando ao Hospital Bom Jesus, em Águas Lindas de Goiás.

"Ele descarregou uma pistola, possivelmente 380, em cima do policiais", revelou o secretário de segurança pública de Goiás.

Encontro com ex-companheira

O secretário afirmou ainda que Lázaro tinha R$ 4,4 mil no bolso quando foi achado pelos policiais. De acordo com Rodney, ele foi encontrado quando tentava contato com familiares que moram na região.

"Fizemos o cerco e, além da arma, ele tinha R$ 4,4 mil no bolso. Isso é mais uma prova que tinha gente com ele dificultando o nosso trabalho”, afirmou.

O procurado foi atingido por vários tiros. Após ser baleado, ele foi levado por uma viatura do Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Bom Jesus, mas morreu.

Por volta de 11h10 uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) chegou aos fundos da unidade de saúde. O corpo dele deve ser levado para ser periciado em Goiânia e, em seguida, liberado para os familiares.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil