Cozinheira morre após panela de pressão de 10 litros explodir em restaurante no Distrito Federal

Funcionária de 34 anos teve parada cardiorrespiratória e ferimentos na cabeça

panela de pressão explode em restaurante no Distrito Federal e mata cozinheira
Legenda: Jade era natural do Maranhão, mas morava em Brasília com a esposa e o filho
Foto: Reprodução

Uma cozinheira de 34 anos morreu, nesse domingo (8), após a explosão de uma panela de pressão no restaurante em que trabalhava em Ceilândia, no Distrito Federal. Jade do Carmo Paz Gabriel chegou a ser reanimada no local, mas não resistiu aos ferimentos. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, a panela era de porte industrial e estourou durante o preparo de um alimento. Funcionários confirmaram que o item tinha capacidade para 10 litros e estava com feijão no momento da explosão. 

Os militares encontraram a mulher no chão, inconsciente, em parada cardiorrespiratória e com ferimentos na cabeça, aparentando traumatismo craniano grave.

Os bombeiros fizeram manobras de reanimação por cerca de uma hora. Ao esgotar as tentativas, um médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atestou o óbito da cozinheira.

'Abalo emocional'

Outras duas mulheres estavam nas proximidades do fogão. Elas saíram sem ferimentos e não precisaram de atendimento médico. Porém, os bombeiros informaram que as funcionárias sofreram "forte abalo emocional". 

Jade era natural do Caxias, no Maranhão, e morava em Brasília com a esposa e o filho. "Ela era trabalhadeira, fazia cada comida gostosa, era maravilhosa a minha sobrinha", afirmou a tia da vítima, Maria Madalena do Carmo, que disse estar "sem palavras" com a tragédia. 

A Polícia Civil foi acionada ao local e interditou a cozinha do restaurante Tavares, que fica no subsolo. O estabelecimento divulgou nota de pesar nas redes sociais, onde informou sobre a suspensão dos atendimentos. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil